Dida Sampaio/Estadao
Dida Sampaio/Estadao

Carlos publica áudio que teria autorizado entrada de Elcio Queiroz em condomínio de Bolsonaro

De acordo com o vereador, que não explicou como teve acesso ao registro, ligação teria sido feita para a casa de Ronnie Lessa e não do presidente da República

João Ker e Roberta Jansen / Rio, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2019 | 13h04
Atualizado 30 de outubro de 2019 | 14h38

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC) publicou nesta quarta-feira, 30, em suas redes sociais um vídeo com imagens de um computador com o que ele alega serem arquivos de áudio das conversas entre a portaria e as casas do condomínio Vivendas da Barra, onde o presidente Jair Bolsonaro tem dois imóveis, realizadas no dia 14 de março de 2018, data em que Marielle Franco (PSOL) foi assassinada.

Um dos registros mostra que às 17h13 um homem identificado como Elcio pede para ir à casa 65, onde vivia Ronnie Lessa. Ele e Elcio Queiroz são acusados de, no mesmo dia, matar a vereadora e seu motorista Anderson Gomes. Não há no horário ligação para a casa 58, que pertence ao presidente – mas sim às 15h58.

Filho do presidente, Carlos também mora no condomínio. No vídeo, ele reproduz apenas a gravação das 17h13, na qual é possível ouvir o porteiro, após ligar para a casa 65, informar a chegada do “senhor Elcio”. O interlocutor libera a entrada do visitante.

Para Entender

Bolsonaro atribui a Witzel vazamento que o vincula a caso Marielle; governador nega

Em live gravada durante a madrugada na Arábia Saudita, presidente classificou reportagem da TV Globo como 'patife' e 'canalha'

“Vocês podem ver que nem antes nem depois houve tentativa de contato com a casa de Jair Bolsonaro”, diz Carlos no vídeo. O vereador, porém, não se refere à ligação para a casa do pai, ocorrida pouco mais de uma hora antes. Segundo reportagem da Rede Globo, um livro da portaria teria registro da chegada de Elcio ao volante de um carro às 17h10.

O vereador não explicou como teve acesso às provas, mas reafirmou que as investigações do caso Marielle correm sob segredo de Justiça.

Para Entender

Caso Marielle completa 1 ano e meio com pedido de federalização; relembre a investigação

Raquel Dodge pediu que apurações sejam conduzidas em âmbito federal. Duas pessoas estão presas pelo crime, mas as circunstâncias completas da execução ainda não são conhecidas

O vídeo é uma resposta do vereador à reportagem exibida na noite de terça-feira no Jornal Nacional. Segundo ela, o ex-policial militar Elcio Queiroz teria estado no condomínio poucas horas antes do crime. Na portaria, ele teria dito que ia até a casa do então deputado Jair Bolsonaro.

A matéria da TV Globo se baseia em depoimento do porteiro, que teria interfonado para casa do então deputado. De acordo com a reportagem, o depoente disse que “seu Jair” liberou a entrada. Bolsonaro estava em Brasília.

Segundo a TV Globo, o porteiro contou à Polícia Civil em depoimento que, depois de pedir  para ir à casa de  Bolsonaro e ter a entrada liberada, Elcio dirigiu seu carro para a casa de Ronnie Lessa. O porteiro teria ligado de novo para a casa 58, onde “seu Jair” teria dito saber aonde Elcio iria. Mais tarde, Elcio e Lessa saíram do condomínio no mesmo veículo. Eles teriam depois embarcado no automóvel usado no duplo assassinato.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.