Carlos Lima assume Casa Civil no lugar de Erenice

A ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, apresentou no começo desta tarde sua demissão "em caráter irrevogável". Na carta encaminhada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lida pelo porta-voz, Marcelo Baumbach, Erenice afirmou que foi surpreendida nos últimos dias por uma série de reportagens contendo acusações que qualificou como "mentirosas" e que tem respondido uma a uma.

ROSANA DE CASSIA E TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

16 de setembro de 2010 | 13h33

"(As acusações) são mentiras que visam a desacreditar o meu trabalho e atingir o governo ao qual sirvo. Não posso deixar qualquer dúvida pairando acerca da minha honradez. Nada fiz ou permiti que se fizesse ao longo de 30 anos que não tenha sido no estrito cumprimento dos meus deveres", afirmou Erenice, lembrando que pediu à Comissão de Ética a averiguação dos fatos e a quebra de seus sigilos. "As paixões eleitorais não podem justificar este vale tudo", acrescentou.

Após a leitura da carta, o porta-voz informou que interinamente responderá pela Casa Civil o secretário-executivo da pasta, Carlos Eduardo Esteves Lima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.