Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Carlos Lessa lidera eleição na UFRJ

Com mais da metade dos votos apurados, o decano do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), Carlos Lessa, estava à frente na consulta à comunidade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) para escolha do novo reitor.No fim da tarde desta sexta-feira, ele havia recebido 83,7% dos votos e já falava como vencedor. Os colegiados superiores da instituição se reúnem na próxima quinta-feira para elaborar a lista tríplice que será submetida ao ministro da Educação, Paulo Renato Souza, que tem a palavra final.O professor Person Silva, da Educação Física, foi escolhido por 2,5% dos 6.806 votantes, e Eloy Eharaldt, do Departamento de Tecnologia da Construção, por 6%. Votos brancos somavam 1,7% e nulos, 5,9%.Os números são das 17 horas desta sexta-feira. Até esse horário, 1.223 dos cerca de 3 mil professores da UFRJ tinham comparecido às 41 seções de votação. Não foi informado quantos dos 30 mil alunos e 9 mil funcionários participaram da consulta.Carlos Lessa, que tem 65 anos e está há 23 na UFRJ, disse que pretende restabelecer a paz na instituição ? que viveu dias tensos durante a gestão de José Henrique Vilhena, que deixa a reitoria em julho.Vilhena ? que foi o último colocado na lista tríplice enviada a Paulo Renato Souza em 1998, mas, mesmo assim, foi o escolhido para ficar à frente da UFRJ ? enfrentou a oposição de alunos e funcionários.O decano não teme ser preterido pelo MEC. ?Hoje a situação é outra. Não há nenhuma acusação contra mim (no MEC) e minha eleição não tem componente de revanche?, afirmou o professor, em tom conciliador, antes do fim da contagem dos votos.Lessa prometeu ouvir os colegiados ? que foram silenciados por Vilhena nos últimos quatro anos. Os membros dos colegiados podem enviar para Brasília o nome de uma pessoa que não tenha sido submetida à consulta, inclusive o de Vilhena, uma vez que, pela lei, o reitor pode ser reconduzido ao cargo. Ele já anunciou, porém, que não pretende continuar no cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.