Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Carlos critica silêncio de deputados 'eleitos por Bolsonaro' sobre Previdência

'Time tem que jogar junto', escreveu o filho do presidente no Twitter

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2019 | 09h25

Afastado das questões do governo após o epísódio que culminou na demissão do ex-ministro Gustavo Bebianno, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente, segue comentando assuntos de Brasília. Nesta terça, 26, ele criticou no Twitter o silêncio de deputados aliados de Bolsonaro sobre a proposta de reforma da Previdência.

O vereador diz que o projeto do governo federal não é "tão popular", mas "necessário" e que "um time tem que jogar junto". "Gostaria de ver mais deputados eleitos por Bolsonaro defendendo a não tão popular, mas necessária proposta da nova previdência", escreveu no Twitter. "Sabemos que alguns já o fazem, mas qualquer um vê que a esmagadora maioria nem toca no assunto. Um time tem que jogar junto interessado só no Brasil."

Após as rusgas públicas entre Carlos e Bebianno, havia ficado acertado que Carlos ficaria fora de ações do Executivo e evitaria mensagens nas redes sociais com ataques e críticas a integrantes da equipe do presidente e que pudessem inferferir em assuntos do governo federal. O acordo, porém, é visto com ceticismo no Planalto dado o histórico do filho do presidente.

Sobre a Previdência, o discurso de Carlos é similar ao do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que defendeu na segunda, 25, que "a estrutura política que levou o presidente ao governo" seja acionada nas redes para defender o projeto.

"O governo precisa fazer isso. (Usar) a estrutura política que levou o presidente ao governo e que apresentou competência muito grande de influência nessas redes. Dos que são contra, já está sendo fortemente usadas", disse Maia em debate da Fundação Getúlio Vargas e do jornal Folha de S. Paulo na segunda.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.