Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Carlos comenta declarações de Levy sobre atuação de Mourão: 'Interesse crocodilal'

É o terceiro dia seguido de críticas públicas do filho do presidente Jair Bolsonaro contra o vice Hamilton Mourão

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2019 | 08h52

No terceiro dia seguido de críticas públicas contra o vice-presidente Hamilton Mourão, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) publicou nesta quinta, 25, no Twitter, um comentário sobre declarações do líder do partido do vice (o PRTB), Levy Fidelix.

Levy comentava a atuação de Mourão durante o governo de transição. O filho do presidente Jair Bolsonaro fala em "interesse crocodilal". Na imagem compartilhada por Carlos, uma notícia informa que Mourão teria poder para intervir onde achasse necessário e, por ter sido eleito vice-presidente, poderia agir sem pedir licença a ninguém. São declarações de Levy.

"O que se vê desde a época da transição é um interesse crocodilal em situações desnecessárias", escreveu Carlos nesta quinta. "Aos que pedem para eu parar, digo que se informar ou não é uma escolha e estamos todos no mesmo barco chamado Brasil, mas nos recuperando."

Na quarta, após dizer que não estava apenas "reclamando" do vice no Twitter, Carlos ironizou possíveis associações de suas críticas a Mourão a um suposto apoio a pedidos de impeachment. "Dou gargalhadas quando algum ser tenta induzir que busco impeachment de quem quer que seja. Informar e mostrar a verdade de posicionamentos inadequados e anteriores a qualquer crítica por mim revelada virou motivo para distorções e fake news."

Carlos tem feito diversas publicações contra Mourão. Também na quarta, replicou um vídeo do youtuber Bernardo Küster intitulado "General Mourão: o traidor?", com o comentário: "Vice contraria ministros e agenda que elegeu Bolsonaro presidente".

Ainda na quarta, respondeu ao próprio Fidelix, depois que ele compartilhou um vídeo em que o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ) critica quem "patrocina" rusgas entre o vice e o presidente Jair Bolsonaro. Carlos não é citado nem no vídeo, nem no tuíte do presidente do PRTB.

"Suas posturas nunca foram novidades para ninguém. Não enganam ninguém. Bichinhos característicos, lamentavelmente!", escreveu Carlos. Em resposta a um seguidor que compartilhou o vídeo e escreveu "esse é o culpado, articulando nas costas do Presidente", Carlos respondeu: "Precisa desenhar?"

Entorno. Outros aliados e pessoas próximas de Jair Bolsonaro também estão envolvidos nas rusgas públicas entre Mourão e Carlos. Na quarta, o Estado publicou uma entrevista com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), irmão de Carlos, em que endossa as críticas do irmão. Para ele, as declarações de Mourão têm causado "ruído" e Carlos está "apenas reagindo".

Antes disso, sem citar diretamente o vice, disse que quem despreza a suposta importância do escritor Olavo de Carvalho, guru do bolsonarismo, está demonstrando "total desconhecimento, se lixando para os reais problemas do Brasil ou acha que o mundo gira em torno de seu umbigo por motivos que prefiro que reflitam."

A declaração aconteceu depois que Mourão atacou Olavo por críticas a militares. O vice disse que o escritor deveria se dedicar à astrologia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.