Carlinhos Cachoeira é transferido para presídio no DF

Contraventor, preso em fevereiro na Operação Monte Carlo da Polícia Federal, deixou unidade de segurança máxima de Mossoró (RN) após decisão judicial

do estadão.com.br

18 de abril de 2012 | 08h56

Atualizado às 10h35

O contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, chegou na manhã desta quarta-feira, 18, em Brasília, e já está no Complexo Presidiário da Papuda. Cachoeira, preso em fevereiro na Operação Monte Carlo da Polícia Federal, ficará na área reservada a presos federais. A PF evitou dar detalhes sobre os horários da transferência por questãoes de segurança.

 

Cachoeira deixou o Presídio de Segurança Máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte na noite desta terça-feira, 17, após o desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Tourinho Neto, aceitar o pedido de transferência feito pelos advogados de Carlinhos Cachoeira. De acordo com a decisão do desembargador, Cachoeira não cometeu nenhum crime hediondo e não representa alto risco para a sociedade.

 

Os advogados de Cachoeira argumentavam que não havia necessidade de seu cliente ficar no presídio federal de Mossoró, onde a rotina de segurança foi apontada como desnecessária, já que seria a primeira vez que ele era preso. Além disso, os advogados afirmavam que tinham dificuldades para despachar com o cliente e que a família de Cachoeira tinha problemas para visitá-lo, devido à distância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.