Carla Bruni e Sarkozy passam Natal em resort de luxo na Bahia

Forte esquema de segurança permite que o casal não seja perturbado; eles ficam em Itacaré até o dia 29

Biaggio Talento, de O Estado de S. Paulo,

24 de dezembro de 2008 | 10h14

A primeira-dama da França, Carla Bruni, apagou as velinhas dos seus 41 anos, na terça-feira, num resort de alto luxo em uma praia isolada de Itacaré (436 km ao sul de Salvador). Ela e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, desembarcaram no litoral baiano para passar o período natalino depois de o chefe de Estado ter se reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Rio de Janeiro. Foto: Lúcio Távora/A Tarde O casal está hospedado no resort Txai, a 15 km do centro de Itacaré. Um barco da Marinha faz o monitoramento da região, impedindo que qualquer embarcação se aproxime da praia. Agentes franceses e da Polícia Federal brasileira estão hospedados no local e garantem a segurança do presidente. O resort fica num trecho de mata atlântica, com praia particular. Se depender do esquema de segurança, ninguém perturbará o casal francês. A previsão é que o casal permaneça no local até o dia 29 de dezembro. Até lá, devem visitar o centro de Ilhéus, além de reservas naturais nas proximidades da cidade. A chegada do presidente francês passou despercebida pela pequena Itacaré, cidade de 20 mil habitantes que tem sua população dobrada no período de verão. O técnico de enfermagem Robson de Sá, 36, aproveitava o pôr-do-sol e nem sabia da presença ilustre. "Aqui, esses famosos chegam e saem e não faz diferença nenhuma para a gente", disse. Sarkozy e sua mulher desembarcaram no Aeroporto de Ilhéus na tarde de terça, num jato F-9000, debaixo de uma chuva fraca, que cessou ao cair da noite. Um helicóptero da Marinha levou a família para o resort. Quatro carros com seguranças do presidente foram escoltados pela Polícia Federal para o resort, que não permite a entrada da imprensa e nega que o casal esteja no local.

Mais conteúdo sobre:
Carla BruniNicolas Sarkozy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.