Cardozo quer integração de centros de comando e controle

O objetivo seria dar continuidade no processo de integração das forças ocorrido durante o Mundial de futebol

ERICH DECAT, Agência Estado

18 de julho de 2014 | 19h38

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu nesta sexta-feira, 18, a criação de uma normatização dos Centros Integrados de Comando e Controle (CICC) que atuaram na Copa do Mundo. O objetivo, segundo o ministro, é dar continuidade no processo de integração das forças ocorrido durante o Mundial de futebol e expandir a iniciativa para o período eleitoral e Olimpíadas do Rio de 2016, além de servir de reforço à segurança nas fronteiras.

"Tiramos uma sugestão que todos os centros tenham uma normatização. Cada Estado terá um decreto, portaria, disciplinando. Alguns Estados já têm. Outros estão terminando. A ideia é trocar essas normatizações, para que possamos estar de maneira uniforme", afirmou Cardozo após encontro, em Salvador, com representantes da área de segurança pública das cidades que sediaram os jogos da Copa.

Segundo ele, os centros nacionais, que ficam em Brasília e Rio de Janeiro, também devem criar regras para atuar em situações extraordinárias. "Sempre que for preciso, haver atuação das forças federais diante da necessidade das forças estaduais. Se houver uma situação de catástrofe, paralisia das forças, o centro é ativado imediatamente", explicou.

Cardozo informou, ainda, a possibilidade da presença nos CICCs de integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) durante as campanhas deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.