André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Cardozo descarta preocupação de que investigações da Lava Jato cheguem ao Planalto

Ele argumentou que Dilma Rousseff sempre teve comportamento 'absolutamente criterioso' e cumpridor da lei

Célia Froufe, O Estado de S. Paulo

20 Junho 2015 | 15h52

Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, descartou neste sábado, 20, ao Grupo Estado qualquer preocupação do governo de que as investigações da Lava Jato cheguem ao Palácio do Planalto ou ao ex-presidente Lula. "De forma nenhuma (há essa preocupação)", disse. Ele acrescentou que "nem vê" uma aproximação dos processos com o Palácio. "De forma nenhuma, não existe essa hipótese", garantiu.

Cardozo argumentou que a presidente Dilma Rousseff sempre teve um comportamento "absolutamente criterioso" e cumpridor da lei. "Até os adversários, talvez não falem isso publicamente, respeitam a sua seriedade. Isso é indiscutível, é uma pessoa absolutamente idônea", reforçou. Ele também saiu em defesa de Lula. "Enquanto presidente, líder, Lula sempre teve uma posição de respeito à lei e à probidade administrativa."

Segundo o ministro, o governo sempre apoiou e continuará apoiando todas as investigações que apurem ilícitos no País, e não apenas as relacionadas à Lava Jato. "Por isso sempre apoiamos as ações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, para que ajam com autonomia e independência", argumentou.

Questionado sobre rumores de proximidade de empreiteiras com diversos partidos políticos de posição e oposição ao governo, Cardozo optou por uma saída diplomática. "Nessa hora, muitos boatos circulam. Boatos podem circular, mas quem se atém estritamente à investigação deve respeitar os fatos", disse, acrescentando que, o Ministério da Justiça jamais se prenderá a rumores. "Apenas a apurações sérias, impessoais, com lei a todos e com direito ao contraditório e à defesa."

Mais conteúdo sobre:
lava jato josé eduardo cardozo planalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.