Cardozo busca consenso para Comissão da Verdade

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse hoje que o governo federal está dialogando com todas as forças do Congresso para conseguir consenso em torno do projeto de lei que cria a Comissão da Verdade. Cardozo falou com a imprensa após reunião com o presidente da República em exercício, Michel Temer, sobre questões relacionadas a um plano de vigilância de fronteiras. "Nós temos um texto, estamos dialogando com todas as forças do Congresso, com o DEM, com o PSDB, e a nossa ideia é termos uma formatação bastante consensual", disse Cardozo sobre o projeto da Comissão da Verdade.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

19 Setembro 2011 | 18h51

A Comissão da Verdade pretende "examinar e esclarecer" as violações de direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988. A comissão deverá ser composta "de forma pluralista" por sete membros indicados pela presidente da República, o que é criticado pelo Democratas, que questiona esse critério de escolha dos integrantes, alegando temer que a comissão sirva de palanque para determinados grupos.

Questionado se o governo aceitaria fazer mudanças no texto do projeto, Cardozo respondeu: "Estamos abertos ao diálogo. Não posso dizer qual o resultado final porque não terminamos o diálogo". Na semana passada, a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, acompanhada de ex-ministros da pasta, foi ao Congresso Nacional para sensibilizar os parlamentares quanto à urgência e relevância da matéria. O projeto de lei que cria a Comissão da Verdade deve ser votado nesta semana pela Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.