Caravana petista vai a Brasília pressionar Marta a se candidatar

Petistas de São Paulo vão a Brasíliana próxima quinta-feira para pressionar a ministra MartaSuplicy (Turismo) a decidir pela candidatura à prefeitura dacapital paulista. Trata-se da primeira manifestação explícitados apoiadores da ex-prefeita. "Vamos fazer uma grande caravana e pedir para ela saircandidata. Marta é importante para o partido e com ela o PT temgrande chance de retomar prefeitura de São Paulo", disse àReuters o deputado estadual Ênio Tatto, do PT. Participará da caravana a maior parte dos 20 deputadosestaduais e dos 12 vereadores do PT. Eles devem se juntar aosdeputados federais em Brasília. Os defensores da candidatura Marta, que lidera recentepesquisa de intenção de voto, também preparam outro ato, destavez na capital, no dia 30. Com o slogan "Volta Marta", serárealizado na sede do sindicato dos trabalhadores da indústriaquímica. A falta de um candidato está dificultando as negociaçõescom aliados. "Todos os partidos estão amarrados enquanto ascandidaturas não se definem", disse Tatto. Mesmo assim, Marta teve um encontro pessoal com OrestesQuércia, presidente do PMDB paulista. Pelo que vem sendoventilado, o PMDB, com o maior tempo na TV, assumiria a vice nachapa de Marta e, em 2010, o PT apoiaria a candidatura deQuércia ao Senado. As mobilizações não garantem uma decisão imediata de Marta.Ela recebeu o aval do presidente Luiz Inácio Lula da Silva emmarço, mas vem dizendo que tem até 5 de junho para deixar oministério, de acordo com a legislação eleitoral. Sempre que questionada sobre a candidatura, desconversa ediz que está "mergulhada" ou "imbuída" pelas atividades dapasta do Turismo. Prefeita de São Paulo entre 2000 e 2004, elaassumiu o ministério em março do ano passado e antes tentou areeleição em 2004, que perdeu para José Serra (PSDB). Tucanos e democratas também aguardam uma definição. NoPSDB, uma parcela do partido defende a candidatura doex-governador Geraldo Alckmin, enquanto outra ala quer o apoioao atual prefeito, Gilberto Kassab, do DEM. "A decisão já foi tomada, cabe ao diretório municipal aoficialização", disse o deputado Silvio Torres (PSDB-SP), umdos principais articuladores da candidatura de Alckmin. Enquanto tucanos da capital vêm realizando atos de apoio aAlckmin, Kassab avisa por interlocutores que está no páreo.(Reportagem de Carmen Munari)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.