Caras-pintadas comemoram 10 anos de impeachment de Collor

O movimento dos caras-pintadas prepara para este sábado uma grande manifestação na Praia da Pajuçara, em Maceió, para comemorar os dez anos da abertura do processo de impeachment contra o ex-presidente Fernando Collor de Mello, candidato ao governo de Alagoas, pelo PRTB.Segundo um dos coordenadores do movimento, David Klinger, cerca de 10 mil estudantes deverão participar da passeata, que será animada pela banda Cafuné, de Salvador."Esta será a terceira grande manifestação contra Collor em Alagoas. Nosso objetivo é conscientizar a juventude a não votar em candidatos comprometidos com a corrupção", afirmou Klinger, que é presidente do Diretório Acadêmico do Curso de Direito da Faculdade de Alagoas (Fal) e já foi vice-presidente da União Estadual dos Estudantes.Segundo ele, a manifestação estava programada para domingo, mas os assessores de Collor reservaram essa data para uma manifestação no mesmo local. Segundo a assessoria do PRTB, o ex-presidente pretende realizar no domingo um grande "arrastão" na orla da Pajuçara e Ponta Verde."Será um ato de desagravo pelas injustiças sofridas por Collor, que, apesar de ter sido inocentado pela mais alta corte do País, o Supremo Tribunal Federal (STF), continua sendo acusado de corrupção por seus principais adversários", afirmou Elionaldo Magalhães, presidente do PRTB de Alagoas.O ex-presidente pretende encerrar sua campanha fazendo dois grandes comícios do interior do Estado, na próxima quinta-feira. O primeiro comício da noite será realizado na cidade de Limoeiro de Anadia, cidade de seu principal cabo-eleitoral, o presidente da Assembléia Legislativa de Alagoas, deputado Antônio Albuquerque (PTB).O segundo comício será em Arapiraca, segundo maior município do Estado, administrado pela prefeita Célia Rocha, que rompeu com o PSDB para apoiar Collor.O governador Ronaldo Lessa, candidato à reeleição pelo PSB, vai encerrar a campanha com um grande comício em Maceió, onde conta com o apoio da prefeita Kátia Born. A assessoria do candidato ainda não sabe em que bairro será o comício, mas tudo indica que seja na periferia da cidade.Lessa lidera as pesquisas de opinião. Segundo o Ibope, ele tem 43% das intenções de votos, sete pontos na frente de Collor, que aparece na pesquisa com 36%.HistóricoNo dia 29 de setembro de 1992, por 441 votos a 38, a Câmara autorizou o Senado a abrir processo contra Collor por crime de responsabilidade e determinou seu afastamento da Presidência. Em 2 de outubro de 1992, Collor recebe a citação de afastamento e deixa o Palácio do Planalto.Em 29 de dezembro de 1992, ele renuncia à Presidência, vinte minutos depois de iniciada a sessão de seu julgamento. O vice-presidente Itamar Franco assume a Presidência. Em 30 de dezembro de 1992, por 76 votos a três, o Senado considera Collor culpado de crime de responsabilidade e o impede de exercer função pública durante oito anos. Em 20 de julho de 1994, por cinco votos a três, o Supremo Tribunal Federal (STF) absolve Collor da acusação de corrupção passiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.