Capital paulista tem maior abstenção desde 1988

O segundo turno da eleição para prefeito de São Paulo neste domingo teve o maior índice de abstenção desde a primeira eleição municipal após a ditadura, em 1988, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

FELIPE TAU E LUCIANO BOTTINI FILHO, Agência Estado

28 de outubro de 2012 | 20h32

Até as 20 horas, 1.642.298 eleitores não votaram, o equivalente a 19,96% do eleitorado. O recorde anterior havia sido no primeiro turno deste ano, com 18,48% do eleitorado.

Antes das eleições de 2012, o máximo de abstenção registrado foi no segundo turno de 1996, com 18,11%. Na época, havia 6.765.407 eleitores na cidade de São Paulo. Hoje, são 8.619.170 pessoas com domicílio eleitoral na capital.

Até 1996, não havia urna eletrônica em todos os municípios do Brasil, de acordo com o TSE, e os índices de abstenção são mais fiéis a partir das votações para prefeito em 2000, quando todas as cidades do País contavam a tecnologia.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPabstenção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.