Caos no Brasil freia setor aéreo da América Latina, diz entidade

Segundo Conselho Internacional, crescimento ficou abaixo do esperado.

Marcelo Crescenti, BBC

09 de agosto de 2007 | 11h54

Segundo o Conselho Internacional de Aeroportos (ACI, na sigla em inglês) os problemas na aviação brasileira foram responsáveis por um crescimento menor do que o esperado no setor em toda a América Latina.De acordo com uma análise da entidade, feita com base em estatísticas preliminares, o crescimento no número de passageiros na América Latina nos seis primeiros meses de 2007 foi de 6,2%."O crescimento foi liderado por Peru, México, Equador e Argentina, compensando a tendência negativa no mercado doméstico do Brasil", disse a porta-voz da entidade, que tem sede em Genebra. A ACI não divulgou os dados do primeiro semestre de 2007 por país. Estatísticas divulgadas recentemente pelo órgão, que representa operadores de aeroportos, mostram que, apesar do caos aéreo e dos problemas com a Varig, o número de passageiros havia subido 3,4% no Brasil em 2006.No entanto, o crescimento ficou bem abaixo do esperado e, já em 2006, acabou freando o desempenho do setor na América Latina.Países como México e Colômbia tiveram um crescimento bem maior que o Brasil em 2006, com ganhos de 5% e 9,2%, respectivamente.Apesar dos fracos resultados de 2006 e das indicações de que o primeiro semestre de 2007 não será melhor, a porta-voz da AIC vê o mercado brasileiro com otimismo."O tráfego aéreo vai voltar a crescer fortemente no Brasil", prevê Nancy Gautier, porta-voz da AIC em Genebra, na Suíça. "O país deve investir mais na infra-estrutura aeroportuária para poder administrar esse crescimento."Gautier disse que o fato de militares serem responsáveis pelo controle de vôo no país é "insólito", mas não quis fazer comentários sobre uma possível privatização do setor.Segundo o AIC os aeroportos em todo o mundo receberam o número recorde de 4,4 bilhões de passageiros em 2006, um crescimento de 4,8% em comparação com 2005.O ACI é sediado em Genebra, na Suíça, e representa 573 empresas que operam um total de 1.643 aeroportos em 178 países.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.