Candidatura está em patamar promissor, avalia Marina

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse hoje acreditar em uma virada na corrida presidencial no Brasil, assim como ocorreu recentemente na Inglaterra e Colômbia, onde candidatos que estavam em posição de desvantagem nas intenções de voto conseguiram avançar consideravelmente ao longo da campanha.

LUCIANA XAVIER, Agência Estado

22 Julho 2010 | 18h07

"Sempre que me perguntam em relação a pesquisas, digo que estou bem animada", afirmou a jornalistas, após encontro com investidores e empresários em Nova York, em evento promovido pela BM&FBovespa. "Estamos com 9%, 10%, tendo em vista que a campanha se inicia agora", acrescentou.

"Se compararmos com José Serra, que está aí há muito tempo, Dilma, que faz quase três anos que vem colocando seu nome como candidata, nós diríamos que estamos num patamar muito promissor", avaliou Marina. Participaram da entrevista, juntamente com Marina, seu candidato a vice, Guilherme Leal, e o economista Eduardo Giannetti, um dos elaboradores do seu programa de governo.

Segundo ela, a internet tem tido papel importante na campanha. "Temos tido mobilização espontânea pela internet e acreditamos que é uma forma de suprir o pouco tempo que temos na televisão", comentou. "É uma forma de interagir com as pessoas", disse.

Ela admitiu, respondendo a jornalistas, que sua campanha tem semelhanças com a do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e disse que a campanha dele serviu de "inspiração". "Não tenho dúvidas de que temos no mundo inteiro um estabelecimento de novos paradigmas para os processos eleitorais após a eleição de Obama", disse.

Visual

Questionada se tem alguma preocupação em fazer mudanças estéticas, como cirurgia plástica ou mudança de guarda-roupa, como fez a candidata petista Dilma Rousseff, ou ainda buscar passar uma imagem mais simpática diante dos eleitores, Marina respondeu: "Na questão estética, eu não tenho nada contra quem faça isso para se sentir melhor". "Quanto as preocupações em se mostrar mais simpáticos, eu e o Guilherme já somos naturalmente simpáticos", disse Marina, bem humorada.

Tanto ontem como hoje Marina vestiu blazer, blusa e calça. A diferença ficou por conta dos cabelos, mantidos naturalmente grisalhos e longos, e que ontem estavam em rabo de cavalo e hoje em coque.

Mais conteúdo sobre:
eleição Marina pesquisas campanha NY PV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.