Candidatura de filho de Lula é impugnada; PT critica decisão

De acordo com a Constituição, são inelegíveis os parentes do presidente "consangüíneos ou afins"

Clarissa Oliveira, de O Estado de S. Paulo,

01 de agosto de 2008 | 23h03

A candidatura do empresário Marcos Lula (PT) - enteado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - a uma vaga na Câmara Municipal de São Bernardo foi impugnada. A impugnação da candidatura foi pedida pelo Ministério Público, com base no artigo 14 da Constituição e no artigo 1º da lei complementar 64/1990 que definem como inelegíveis os parentes do presidente da República "consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção". Marcos Lula é filho do primeiro casamento da primeira-dama Marisa Letícia e foi adotado pelo presidente Lula. Ele pretendia disputar uma vaga de vereador em São Bernardo. De acordo com o presidente do PT de São Bernardo do Campo, Wanderley Salatiel, a decisão da Justiça Eleitoral de negar o registro de candidatura do empresário é uma "retaliação política".  "Não temos dúvida de que é uma retaliação política que só está acontecendo porque é o filho do presidente Lula", afirmou o dirigente, acrescentando que o partido, junto com a campanha de Marcos, já começou a estudar possibilidades de recurso na Justiça. "Estamos confiantes que conseguiremos garantir essa candidatura", acrescentou. De acordo com Salatiel, a campanha de Marcos Lula continuará nas ruas enquanto a legenda tenta reverter a decisão.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.