Candidatura de Campos o faz rival até 2018, diz Marinho

O prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Luiz Marinho (PT), disse nesta segunda-feira que, se o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, se candidatar à Presidência, ele não será adversário do projeto do PT apenas em 2014, mas também em 2018. "Isso é o que ele precisa pesar. Eu, no lugar do Eduardo, continuaria no projeto e batalharia para liderar o projeto em 2018."

RENAN CARREIRA, Agência Estado

25 de março de 2013 | 15h33

Marinho disse que o posicionamento do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB é uma incógnita "porque ele faz parte do projeto atual que está em curso no Brasil". "Ele é um jovem brilhante e inteligente e essa inteligência lhe indicaria continuar no projeto vitorioso no Brasil, continuar mostrando serviço para liderar esse projeto mais adiante", afirmou.

O prefeito de São Bernardo do Campo disse que Campos tem de lembrar que o sucesso dele em Pernambuco não é exclusivo dele. "O tamanho do sucesso ele tem de partilhar com Lula (ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva) e com Dilma (presidente Dilma Rousseff). Então, ele pode refletir sobre isso e, quem sabe, na hora em que botar a cabeça no travesseiro, tentar imaginar o que seu avô Miguel Arraes recomendaria." As declarações de Marinho foram dadas após evento em que a Ford apresentou, oficialmente, o primeiro hatch global - que já é montado em vários países - produzido no Brasil, o New Fiesta. O veículo será fabricado na unidade da montadora em São Bernardo.

Tudo o que sabemos sobre:
Luiz MarinhocandidaturaEduardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.