Candidatos vão ser escolhidos hoje

Os nomes de três candidatos ao cargo de procurador-geral da República serão escolhidos hoje em eleição promovida pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). A lista com os nomes será entregue na próxima semana ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O escolhido pelo presidente precisará da aprovação do Senado e substituirá, a partir de julho, o atual procurador-geral, Antonio Fernando de Souza.Seis candidatos disputam os votos de 1.100 procuradores da República de todo o País. Ao contrário das outras eleições, somente esses seis poderão ser votados. Antes, os procuradores podiam votar em qualquer colega. Neste ano, os interessados em disputar o cargo tiveram de se inscrever. Os favoritos para integrar a lista são o atual vice-procurador-geral, Roberto Gurgel, e os subprocuradores da República Wagner Gonçalves e Ela Wiecko. Gurgel tem força justamente por ser o atual vice. Gonçalves começou cedo a se movimentar internamente e Ela Wiecko leva a vantagem de ser a única mulher na disputa. Se vencer, poderá ser a primeira mulher a comandar o Ministério Público Federal. Além disso, os três já integraram a lista tríplice em anos anteriores. Ela Wiecko foi a terceira mais votada em 2003 e 2005. Gonçalves foi o segundo em 2005 e 2007. Gurgel apareceu apenas na votação de 2007, em terceiro. Correm por fora, com poucas chances, Blal Dalloul, procurador em Mato Grosso do Sul, Eitel Santiago, subprocurador ligado ao grupo do ex-procurador-geral Geraldo Brindeiro, e Mário Ferreira Leite, afastado desde o começo do ano por problemas de saúde. A eleição começa às 10 horas em todos os Estados e o resultado deve ser divulgado às 18 horas. O presidente da ANPR, Antonio Carlos Bigonha, leva a lista, com o nome dos três mais votados, a Lula. E espera que o mais votado seja o escolhido. "Acredito que o presidente Lula atenderá ao clamor da categoria." Apesar de o indicado desde 2003 ter sido o primeiro da lista, integrantes do governo e procuradores dizem que Lula poderá não escolher o mais votado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.