Candidatos por SP reproduzem na TV apresentação do Rádio

Na estreia do horário eleitoral na TV, os candidatos a vereador em São Paulo reproduziram os programas de rádio e optaram por uma apresentação mais tradicional, sem o uso ostensivo da imagem de seus padrinhos. Quem esperava ver a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva explorada pelos candidatos do PT viu apenas uma discreta menção ao candidato a prefeito Fernando Haddad. Apenas os candidatos Paulo Pereira da Silva (PDT), Soninha Francine (PPS), Carlos Giannazi (PSOL), Levy Fidelix e Eymael (PSDC) foram à TV apresentar os candidatos de seus partidos. Assim como nos programas de rádio, Gilberto Kassab (PSD), atual prefeito de São Paulo, também passou longe do programa de seus aliados na TV.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 14h25

Um dos poucos a levar para a TV a imagem de seus padrinhos foi o candidato do PPS Ricardo Young, que foi apresentado pela ex-presidenciável Marina Silva. Quarto colocado na eleição para o Senado em 2010, Young espera que o apoio da ex-senadora garanta uma cadeira na Câmara dos Vereadores e aumente consideravelmente a bancada do PPS. Já a candidata do PRTB Lívia Fidelix apareceu na propaganda ao lado de seu pai, o candidato a prefeito Levy Fidelix. Marcelo Frisoni (PP), marido da apresentadora Ana Maria Braga, que utiliza a imagem da mulher em seu material de campanha, não fez menção ao nome da apresentadora global.

Os candidatos da coligação do tucano José Serra, que concorre à Prefeitura de São Paulo, usaram um mesmo padrão de apresentação: breve discurso defendendo sua bandeira política, divulgação do número do candidato e a frase final "Com Serra Prefeito". Celso Russomanno (PRB) e Gabriel Chalita (PMDB), candidatos a prefeito, apareceram no cenário de fundo dos candidatos a vereador. Os peemedebistas foram os únicos a aproveitar a exposição na TV para divulgar suas páginas na internet e nas redes sociais.

O PSTU preferiu não pedir voto para seus candidatos e sim explorar a imagem da formalização da aliança entre Lula, o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o candidato petista Fernando Haddad. "Estão todos envolvidos em escândalo de corrupção", disse uma militante, numa referência à CPI do Cachoeira, ao julgamento do Mensalão e às denúncias envolvendo a gestão do prefeito Gilberto Kassab.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.