Candidatos podem ter página pessoal na internet, diz TSE

Ao responder consulta formulada pelo Partido da Frente Liberal (PFL) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) esclareceu que a Lei Eleitoral não impede a manutenção de páginas pessoais de candidatos à eleição na internet. No entanto, segundo os ministros do TSE, estão proibidos os banners e outros instrumentos de propaganda que venham "impor" ou "empurrar" aos internautas a propaganda eleitoral na web. Para o ministro Luiz Carlos Madeira, relator da consulta, "não há vedação para que candidato mantenha homepage, possibilitando ao cidadão, por seu próprio interesse, buscar e ´entrar´ na página". A Resolução 21.610 do TSE estabelece que os candidatos podem manter página na rede com a terminação can.br como mecanismo de propaganda eleitoral mas, segundo o ministro do TSE, "não há exclusividade da terminação "can", podendo ser usadas outras, como a terminação "com".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.