Candidatos não podem pedir voto nas ruas de Teresina

Mesmo com as reclamações dos candidatos, o juiz da 63ª Zona Eleitoral de Teresina, Antônio de Paiva Sales, responsável pela propaganda eleitoral na capital, não flexibilizou as proibições de campanha. Ele proibiu a propaganda com cavaletes e bandeiraços nas principais avenidas da cidade, pedir votos em lugares de uso comum, no intuito de evitar problemas com o trânsito e para preservar o meio ambiente. No interior as proibições são mais severas não pode soltar fogos de artifício, usar carro de som e nem fazer comício.

LUCIANO COELHO, Agência Estado

29 de agosto de 2012 | 20h41

Os candidatos e os advogados das coligações reclamaram que as decisões judiciais estavam engessando e encarecendo as campanhas eleitorais. Muitos deles questionaram as formas de fazer campanha, como pedir voto para o eleitor diante de tantas proibições.

No interior, as proibições são ainda mais severas. Os candidatos foram obrigados a assinar Termos de Ajuste de Conduta (TAC) e não podem soltar foguetes (rojões), usar carro de propaganda com som alto, nem comícios. Os termos de ajuste também são questionados, mas os candidatos temem retaliações, inclusive a ameaça de multa e impugnação do registro de candidatura.

A resolução do juiz em Teresina proíbe a propaganda nas principais avenidas da cidade. Isso tem gerado polêmica entre os advogados e representantes das coligações. Eles alegaram que isso onera e inviabiliza as campanhas.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012Teresinacampanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.