Candidatos fogem de perguntas em debate no Macapá

O debate entre os quatro candidatos à Prefeitura de Macapá João Henrique (PT), Janete Capiberibe (PSB), Sebastião Rocha (PDT) e Joinvile Frota (PSTU) foi marcado por provocações, perguntas sem resposta e trapalhadas. Líder na última pesquisa do Ibope, com 32% petista João Henrique foi várias vezes interrogado sobre a contratação da empresa Limpel para coleta de lixo. Ele foi questionado sobre os atrasos no pagamento de salários da empresa, que absorve 10% do orçamento municipal. O petista respondeu que foi feito processo licitatório e que, se os salários estão atrasados, não é problema da prefeitura. Perguntado por Rocha porque só depois de ter se mudado do PSB para o PT fez o contrato com essa empresa, o petista não respondeu. Rocha lembrou que por várias vezes a imprensa nacional noticiou "a máfia do lixo" em prefeituras administradas pelo PT. Janete Capiberibe não respondeu quando Frota a pediu que explicasse por que a candidata votou pela taxação dos aposentados. Por sua vez, Rocha, que foi secretário de estado da saúde até o inicio deste ano, também não explicou por que não conseguiu resolver os graves problemas da saúde no Amapá, preferindo dizer o que ainda vai fazer em relação a saúde no município. Janete Capiberibe se distraiu algumas vezes. Esqueceu uma pergunta e, em outra ocasião, quando deveria perguntar sobre educação falou sobre meio ambiente. Encerrando o debate, João Henrique reafirmou que é o candidato do presidente Lula e que tem que ser reeleito para dar continuidade ao seu trabalho. Janete, que aparece com 31% na pesquisa do Ibope, tecnicamente empatada com o petista, lamentou que venha sendo vítima de calúnias e pediu que o eleitorado não acredite, referindo-se a panfletos distribuídos na noite anterior informando que, se eleita, a deputada não poderia assumir. Janete teve o mandato cassado, mas permanece no cargo aguardando julgamento de recurso. Além disso, haveria boatos de que ela estaria com câncer. Terceiro colocado na pesquisa do Ibope, Sebastião Rocha (23%) pediu que não acreditem nas pesquisas. "Essas pesquisas são manipuladas" e lembrou que quando senador pediu a "CPI das Pesquisas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.