Candidatos em MG travam guerra na Justiça Eleitoral

A corrida pelo governo mineiro se tornou uma guerra judicial entre as campanhas de Hélio Costa (PMDB) e do governador Antonio Anastasia (PSDB), candidato à reeleição. Ambos pedem à Justiça Eleitoral, inclusive, a cassação do registro da candidatura adversária. Costa acusa o tucano de uso da máquina administrativa, enquanto Anastasia entrou com ação por suposta formação de caixa 2. Os dois processos, entre outros, tramitam no Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

MARCELO PORTELA, Agência Estado

28 de agosto de 2010 | 15h56

O lance mais recente da batalha foi na noite de ontem (27), quando a coligação Todos Juntos por Minas, de Hélio Costa, entrou com ação no TRE-MG acusando Anastasia de firmar, em junho, convênios com as prefeituras de quase todos os 853 municípios mineiros.

Ainda segundo a ação de investigação judicial eleitoral (AIJE), o governo libera a verba parcelada durante o período eleitoral, para garantir apoio dos prefeitos a Anastasia. A representação está com o desembargador Brandão Teixeira, que não se pronunciou.

Anastasia disse que está "muito tranquilo" em relação à questão. "Os convênios foram feitos de acordo com o que autoriza a legislação. São meros factóides", declarou. Em nota, a coligação Somos Minas Gerais, do governador, negou os números da AIJE e afirmou que os contratos tiveram os "mesmo moldes" dos convênios do governo federal.

A coligação Somos Minas Gerais, por sua vez, acionou a Justiça Eleitoral acusando Hélio Costa de usar caixa 2, porque nem o candidato nem o PMDB teriam declarado gasto com aluguel de um jato que teria sido usado em campanha. "Aí é diferente. Porque já há, aparentemente, um descumprimento (à legislação). Caberá à Justiça definir", alegou Anastasia, que minimizou a batalha jurídica e atribui à legislação "complexa" a disputa no TRE. "Essas questões judiciais não estão acontecendo só em Minas. Acontece no âmbito nacional e também nos Estados. Ela (lei) gera essa possibilidade de demanda judicial", disse.

Ibope

Antônio Anastasia comemorou o resultado da pesquisa Ibope encomendada pelo Estado e pela TV Globo, que mostrou empate técnico entre ele, que passou de 27% para 35% das intenções de voto, e Hélio Costa, que caiu de 38% para 33% na preferência do eleitorado em relação ao levantamento divulgado na semana passada. "Ficamos muito felizes e satisfeitos, mas sempre com muita realidade, com o pé no chão. Vamos continuar trabalhando para que essa tendência vá se confirmando", resumiu.

Já Hélio Costa não quis comentar o resultado específico e disse apenas que cenários diferentes apontados em pesquisas confundem o eleitorado. "Eu poderia dizer aos eleitores que acreditem na maioria das pesquisas, que colocam a minha candidatura disparada na frente. Mas não o farei. Sugiro ao eleitor mineiro que mineiramente desconfie de todas as pesquisas", concluiu.

A pesquisa ouviu 1.806 eleitores, está registrada no TRE/MG sob protocolo 65090/2010 e no TSE sob protocolo nº 26113/2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010MGdisputa judicialTRE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.