Candidatos em Fortaleza evitam ofensas pessoais

Os candidatos Luizianne Lins (PT) e Moroni Torgan (PFL) evitaram ofensas pessoais no último debate nesta sexta-feira, focalizando a discussão nas propostas de governo. O clima antes do debate era tenso, já que aliados de Luizianne chegaram à sede da TV Verdes Mares preocupados com os rumores de que Moroni faria ataques pessoais para desestabilizar a adversária. Mas, no início da noite, o próprio Moroni desmentiu os boatos. O principal foco do candidato do PFL foi tentar vincular a candidata do PT ao prefeito Juraci Magalhães (PMDB), que deixa o cargo com alto índice de rejeição e sob denúncias de corrupção em sua administração. "Todos diziam que ele estava nas pesquisas e tentaria desestabilizar minha candidatura", ressaltou. Após o debate, Luizianne, mesmo contrariando seguranças da própria emissora, dirigiu-se aos militantes do PT que acompanharam o debate na praça. Ela foi saudada com gritos de "prefeita, prefeita" e, diante da insistência de partidários, pegou o microfone e ainda fez um rápido discurso. Para associar Luizianne a Juraci Magalhães, Moroni insinuou que ela estaria vacilante - ao contrário dele - de fazer uma auditoria nas contas da prefeitura. "Não vou vacilar em fazer auditoria se constatar irregularidades", reagiu a candidata. "Mas a senhora aceita ou não o voto de Juraci?", insistiu. Irritada, a candidata do PT negou que tivesse acordo ou apoio do prefeito, citando nomes de auxiliares diretos de Juraci que estariam atuando diretamente na campanha de Moroni. "Mas não vou impedi-lo de votar. Para isso, ele terá de ser preso e quem é o delegado de polícia aqui é o senhor", disse, encerrando a discussão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.