Candidatos do PT não devem se envergonhar, diz Genro

O ministro da Educação, Tarso Genro, defendeu que o PT faça uma "campanha não envergonhada" nas eleições municipais de 2004. "Temos de ter uma postura não envergonhada em relação a eventuais problemas que qualquer governo enfrenta", observou. "A postura tem de ser afirmativa", continuou. Para Genro, "o PT tem de articular a natureza do mandato do presidente Lula, os avanços que estão ocorrendo, com os projetos locais".Questionado se as eleições deste ano podem vir a se transformar em um plebiscito do governo Lula, o ministro disse que sim. "Acho que as eleições deste ano vão estar induzidas pelo juízo que o eleitor tem do governo Lula." Para o ministro, medidas como o reajuste de apenas R$ 20 do salário mínimo podem prejudicar as candidaturas petistas. "Podem prejudicar. Mas se prejudicarem, temos de saber responder", afirmou.Ao comentar a polêmica entre o governo federal e o jornal The New York Times, Tarso Genro atacou a qualidade do jornalismo praticado nos Estados Unidos. "É um jornalismo ordinariamente muito desqualificado, que se refletiu no conteúdo desta matéria (do NYT) do jornalista que está aqui (Larry Rother)", opinou. "É um jornalismo (o americano) que discute se a sogra do candidato usava biquíni quando era jovem ou se um cidadão, em determinado momento, fumou maconha, mas não tragou."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.