Candidatos discutem economia no 1º bloco de debate

Numa discussão que começou há pouco com um tom mais ameno em comparação com a de quinta-feira (16), no SBT, o candidato a presidente Aécio Neves (PSDB) e a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, discutiram no primeiro bloco do debate da Rede Record o crescimento econômico do País e a inflação. Aécio e Dilma também retomaram o tema da segurança pública.

Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2014 | 23h25

Na primeira pergunta, a presidente e candidata do PT à reeleição perguntou a Aécio qual a posição dele sobre a universalização da Lei do Simples. Ele respondeu afirmando que foi no governo do PSDB quem apresentou a proposta do Supersimples, que ampliava o Simples. Aécio disse que uma das prioridades "absolutas" dele, se ganhar a eleição, será apresentar um projeto para simplificar o sistema tributário para as micro e pequenas empresas, mas também para o conjunto da economia. "Temos um sistema tributário complexo e oneroso", disse.

Após agradecer a "qualidade" da pergunta de Dilma, o candidato do PSDB a presidente disse que quer fazer o Brasil voltar a crescer. "Com o crescimento nulo deste ano, todos serão afetados, os grandes, os médios e principalmente, os microempresários", declarou.

A presidente e candidata do PT afirmou que Aécio é "muito pessimista" em relação ao crescimento do Brasil. "Não concordo que o Brasil vai crescer 0,3%. Melhor refazer suas contas", disse. O candidato do PSDB disse que os dados sobre crescimento do País são do Fundo Monetário Internacional. (FMI)

De acordo com Aécio, a presidente e candidata petista "tem problemas com números". Segundo o candidato tucano, o País entrou em recessão técnica após dois trimestres seguidos de "crescimento negativo". O tucano também criticou declarações de Dilma de que a inflação está sob controle. Em resposta, a presidente disse que a inflação não está descontrolada, "como querem vocês". "Vocês sempre gostaram de plantar inflação para colher juros", acusou Dilma.

Sobre segurança pública, Aécio perguntou a Dilma onde o governo dela "falhou" no enfrentamento da criminalidade. Conforme o tucano, um documento da Unicef mostra que 24 adolescentes e jovens são mortos todos os dias no Brasil.

Dilma respondeu dizendo que o governo federal quer ter responsabilidade sobre a segurança. No entanto, afirmou que a administração federal investiu no setor. Ela também citou números sobre violência em Minas Gerais, dizendo que houve crescimento 52% dos homicídios no Estado, enquanto no Sudeste houve uma queda de 37%. Aécio rejeitou os números, afirmando que, quando ele governou Minas, a taxa de homicídios caiu, enquanto no conjunto dos Estados, o índice cresceu.

Clima

O embate envolvendo a inflação entre Aécio e Dilma provocou as primeiras manifestações na plateia do debate da TV Record. Quando Aécio afirmou que Dilma não pode falar de um governo dele pois ele "não governou o Pais ainda", tucanos deram risada aprovando a afirmação. Dilma referia-se ao governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Depois, na sequência quando a petista afirmou que o PSDB está acostumado "a plantar inflação para colher juros" foi a vez de a plateia petista aprovasse a afirmação com manifestações verbais e algumas risadas. (Daniel Galvão, Leticia Sorg, Silvia Araújo, Carla Araújo, e Elizabeth Lopes)

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesdebateRecord1º bloco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.