Candidatos devem buscar eleitor moderado em Porto Alegre

Os dois candidatos que disputam o segundo turno para a prefeitura de Porto Alegre (RS), Raul Pont (PT) e José Fogaça (PPS), devem calibrar seu foco em direção aos eleitores que não têm necessariamente uma preferência entre um ou outro nome, avaliou o cientista político André Marenco, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A estratégia faz parte da lógica do segundo turno, comentou o analista, reforçada pela campanha eleitoral na cidade, que foi marcada por um tom de moderação de ambos. Para o analista, seria prematuro considerar que Fogaça começaria com vantagem a campanha do segundo turno, pelo fato de ter maiores chances de aglutinar os partidos de oposição - à exceção do PSB, tradicional aliado do PT - em torno de sua candidatura. A transferência de votos não ocorre de forma automática, ponderou Marenco. "É a estratégia dos candidatos que vai definir", acrescentou.Entre as quatro cidades com possibilidade de segundo turno no Estado, haverá nova eleição, além da capital, em Caxias do Sul, na serra gaúcha, e Pelotas, no sul. Em Canoas, na região metropolitana, a disputa foi decidida no primeiro turno, com a vitória de Marcos Ronchetti (PSDB). Em Caxias, a disputa será entre Marisa Formolo (PT) e José Ivo Sartori (PMDB). Em Pelotas, o segundo turno será entre Bernardo de Souza (PPS) e Fernando Marroni (PT).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.