Candidatos de Pelotas buscam apoio fora do município

Os dois candidatos que disputam a prefeitura de Pelotas em segundo turno passaram a segunda-feira buscando reforços para suas campanhas com políticos de fora do município gaúcho. O tucano Eduardo Leite, que lidera uma coligação de nove partidos (PSDB, PPS, PP, PSD, PTB, PR, PSC, PDT e PRB) reuniu-se com lideranças estaduais das siglas aliadas em Porto Alegre para pedir a participação delas no esforço que faz para ganhar a eleição. "A atuação de todos é fundamental para chegarmos à vitória neste momento em que o Estado todo tem os olhos voltados para Pelotas", afirmou, referindo-se ao fato de que a cidade é a única que terá segundo turno no Rio Grande do Sul.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

15 de outubro de 2012 | 18h49

Já o petista Fernando Marroni chamou a Pelotas dez prefeitos eleitos por partidos de sua coligação (PT, PMDB, PSDC e PTN) na zona sul do Estado para ouvir sugestões. "A verdadeira mudança são os projetos de desenvolvimento pensados para Pelotas", afirmou o candidato, que se apresenta como o concorrente que pode vincular as necessidades locais aos programas nacionais por ser do mesmo partido da presidente Dilma Rousseff.

Na propaganda eleitoral, Leite diz que representa a renovação da política local, por ter 27 anos. Marroni afirma que o concorrente é a continuidade do governo municipal, que já tem oito anos, e sustenta que a administração precisa de um gestor experiente e afinado com os governos estadual e nacional. Assim como no primeiro turno, o petista exibiu uma declaração de apoio da presidente da República. "Com Marroni, Pelotas está cada vez mais no ritmo desse novo Brasil", diz Dilma. Leite espera contar com mais uma visita do senador Aécio Neves nos próximos dias.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012Pelotassegundo turno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.