Candidatos de Campinas administram críticas

Os candidatos ao segundo turno das eleições de Campinas Carlos Sampaio (PSDB) e Hélio de Oliveira Santos (PDT) evitaram ataques e confrontos no último debate transmitido pela televisão, promovido pela afiliada da Globo na cidade. Os dois mantiveram o equilíbrio durante a discussão de suas propostas e apresentaram projetos semelhantes. Sampaio reforçou várias vezes o apoio do governo estadual, do tucano Geraldo Alckmin, para investir em pastas como saúde e educação; e Santos não se cansou de lembrar que no segundo turno conta com o aval dos petistas, com os quais tem discutido parcerias para viabilizar projetos para Campinas.Os planos de governo dos dois candidatos, apresentados no debate, se aproximam e apontam para semelhanças em alguns tópicos, como construir pelo menos dois prontos-socorros 24 horas na periferia da cidade, ampliar vagas em creches, investir em moradias populares, implantar o bilhete único e dar continuidade ao projeto de regulamentação fundiária para regularizar cerca de 110 ocupações em Campinas.Sobre o comprometimento de R$ 96 milhões com projetos do Orçamento Participativo (OP), definido este ano para o Orçamento Municipal de 2005, Sampaio afirmou que manterá as obras prioritárias. Santos garantiu que cumprirá todas as metas do OP. Os dois concordaram ainda que é preciso ampliar a redução do Imposto Sobre Serviços (ISS) para setores estratégicos, para beneficiar a geração de empregos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.