Candidatos continuam batendo boca por CEU

Petista recusa convite do prefeito para visitar obra de Centro Educacional Formosa, motivo de desentendimento entre os dois no debate da Record

Ricardo Brandt, Roberto Almeida e Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

23 de outubro de 2008 | 00h00

Depois do bate-boca entre os candidatos a prefeito de São Paulo por causa do atraso na construção do Centro Educacional Unificado (CEU) Formosa, na zona leste, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) convidou publicamente a adversária Marta Suplicy (PT) para ir ao local. A petista, porém, se esquivou, acusando-o de "manipulação"."Isso (o convite) é porque ele provavelmente já levou uma betoneira e está tentando fazer alguma concretagem de fundação", disse a petista, após agenda de campanha na zona leste. "As pessoas estão votando em uma pessoa que fez uma manipulação. Foi manipulação desde o começo. Manipulou a informação", acusou a ex-prefeita.O convite havia sido feito pela manhã, em entrevista à rádio CBN, quando Kassab comentava a visita feita por Marta no dia anterior ao canteiro de obras, enquanto ele promovia uma "vistoria eletrônica", em um prédio da Secretaria de Obras, no centro da cidade, junto com os jornalistas. O prefeito havia feito um primeiro convite para visitar a obra no debate da Record, no domingo. "Convidei e mudei a data, tanto é que todos foram avisados, inclusive a campanha dela", assegurou.Questionado se a prefeita estava convidada de fato para vistoriar as obras do CEU, Kassab respondeu: "É evidente." Diante da insistência dos entrevistadores, que queriam saber se Marta poderia entrar no canteiro de obras, ele afirmou: "Sim, respeitando as regras. Ela conhece as regras, esteve visitando diversas obras. Ela nunca teve cerceado o seu direito de fazer visitas e nem terá. Nem antes das eleições, nem depois."ATRASOA polêmica em torno do CEU Formosa começou há cerca de 15 dias. Os petistas mostraram no horário eleitoral imagens da obra e acusaram o prefeito de enganar a população, ao prometer sua entrega para fevereiro do ano que vem.De fato, a obra está atrasada, mas a prefeitura mostrou imagens anteontem de que a fase de terraplenagem e fundação estão concluídas e a edificação, considerada a parte mais rápida, será concluída até o início do próximo ano letivo.Anteontem, sabendo da visita do prefeito ao local, manifestantes petistas fizeram um protesto em frente à obra. Horas depois, Marta tentou entrar no canteiro, mas foi impedida. "Eu soube depois (que Marta estaria presente)", afirmou ontem Kassab, garantindo que não havia cancelado a sua visita por causa da presença dos petistas.O assunto voltou ontem a dominar o embate eleitoral, mas dessa vez os dois candidatos à prefeitura mostraram-se irritados com o tema.CONFUSÃOKassab fez campanha na Avenida Paulista, onde se encontrou com um grupo de cadeirantes, enfrentou uma confusão entre militantes de sua campanha e do PT e parou para uma coletiva rápida com jornalistas. Após as insistentes perguntas sobre a questão do CEU Formosa, ele deixou a coletiva. O assunto também deixou Marta visivelmente irritada. Após discursar em cima de um trio elétrico, ela relatou a seu vice, Aldo Rebelo (PC do B), e ao senador Eduardo Suplicy (PT-SP) como foi impedida de entrar nas obras e comentou, com críticas, a repercussão do caso na imprensa. Apesar de aparentar desconforto com o tema, o site de campanha da petista explorou o assunto na primeira página: "Cadê o prefeito?" Kassab reiterou ontem aos jornalistas que vai mesmo às obras do CEU Formosa. Até o início da noite de ontem, porém, a agenda ainda não havia sido definida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.