Candidatos ao governo de SP confirmam debate Gazeta/O Estado de S.Paulo

Representantes dos partidos assinaram compromisso ; encontro será no dia 24 de agosto, às 22h

Luís Fernando Bovo / SÃO PAULO,

12 Julho 2010 | 18h23

Representantes dos seis candidatos que disputam o governo de São Paulo assinaram nesta segunda-feira, 12, o compromisso oficial com a TV Gazeta e o Estado para a realização de debate em 24 de agosto, a partir das 23 horas. Todos concordaram com a data, o horário e as regras estabelecidas para o encontro.

 

Participarão do debate TV Gazeta/Estado os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB), Aloizio Mercadante (PT), Celso Russomanno (PP), Paulo Skaf (PSB), Fábio Feldmann (PV) e Paulo Bufalo (PSOL).

 

O debate será transmitido ao vivo pela TV Gazeta e, na internet, pelo portal estadão.com.br. Será mediado pela apresentadora Maria Lydia Flandoli e contará com a participação de outros quatro jornalistas: Paulo Markun (comentarista da TV Gazeta), Silvia Corrêa (chefe de redação da emissora), Celso Ming (colunista de economia do Estado), e Luiz Fernando Rila (editor executivo do jornal).

 

Além de firmar o compromisso definindo as regras do encontro, os representantes dos partidos participaram dois sorteios: um que definiu a posição dos candidatos no estúdio e outro que estabeleceu a ordem em que eles vão responder a primeira pergunta, que terá natureza temática e será a mesma para todos os participantes.

 

 

Os candidatos serão divididos em duas bancadas. O primeiro lugar à direita da mediadora será ocupado por Alckmin. Ao lado dele, sentarão Bufalo e, em seguida, Skaf. Do lado esquerdo de Maria Lydia, o primeiro posto será de Russomanno. Virão a seguir Mercadante e Feldmann.

 

Blocos

 

O encontro terá cinco blocos e um total de duas horas de duração. Além da pergunta temática que todos responderão logo na abertura do programa, haverá dois blocos (o segundo e o quarto) nos quais um candidato sorteado faz uma pergunta aleatória para outro candidato, também definido por sorteio.

 

No terceiro bloco, os candidatos vão responder aos jornalistas da Gazeta e do Estado. No último bloco, cada um terá dois minutos para as considerações finais. Haverá sempre espaço para réplica e tréplica.

 

O candidato que se sentir ofendido poderá pedir à âncora o direito de resposta, que terá duração de um minuto. Caberá à mediadora a decisão de acatar ou não o pedido, com o apoio da direção da emissora, de um representante do Estado e da consultoria jurídica do debate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.