Candidatos a prefeito dominam programa de vereadores em SP

Kassab foi citado 56 vezes à tarde e 37 vezes à noite no horário reservado à sua coligação, que ainda atacou Marta

Daniel Bramatti, O Estadao de S.Paulo

20 de agosto de 2008 | 00h00

O programa era reservado aos candidatos a vereador, mas os nomes mais ouvidos foram os dos prefeituráveis de São Paulo. Na estréia do horário eleitoral gratuito, ontem, Gilberto Kassab (DEM) foi citado 56 vezes no programa da tarde e 37 vezes à noite. O segundo colocado no quesito repetição foi Geraldo Alckmin (PSDB), cujo nome foi pronunciado 25 e 22 vezes, respectivamente.Além da estratégia da insistência, os marqueteiros da coligação de Kassab apelaram para a campanha negativa. Um jingle atacou diretamente o partido de Marta Suplicy, a líder na última pesquisa Ibope, com 41%: "O PT teve uma chance/e São Paulo não gostou/o PT mandando aqui/eu não quero, não senhor."Outro jingle fez o elogio indireto da reeleição do prefeito: "Quem anda pra trás é caranguejo/tá tudo tão bom/pra que vou mudar?/um futuro melhor é o que desejo/deixa quem sabe trabalhar." O último trecho, que tenta associar as palavras "quem sabe" a "Kassab", lembra o bordão "deixa o homem trabalhar", da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva em 2006.O nome de Marta foi citado apenas 11 vezes em cada programa, mas o PT preferiu outro método para colocá-la em evidência. Ao se apresentar, os candidatos a vereador relacionaram sua atuação política à aprovação e concretização de projetos que marcaram a gestão da ex-prefeita, entre 2001 e 2004.Enquanto os candidatos falavam, eram apresentadas aos espectadores imagens de crianças em Centros Educacionais Unificados (CEUs), vestidas com uniformes fornecidos gratuitamente e sendo transportadas por peruas da prefeitura.TUCANOSO programa do PSDB foi aberto à tarde por Gabriel Chalita, ex-secretário da Educação de Alckmin no governo do Estado e um dos principais aliados do ex-governador no partido. Foi o único "puxador de voto" exibido no horário. À noite foi a vez de alguns dos vereadores que disputam a reeleição - a maioria não citou o candidato a prefeito.Alckmin enfrentou uma rebelião na bancada tucana na Câmara Municipal, que preferia uma coligação para tentar reeleger Kassab. O partido ainda não foi pacificado. Dois dos vereadores do PSDB, Gilberto Natalini e Ricardo Teixeira, anunciaram que, "em nome da coerência política", não participarão da campanha na TV nem pedirão votos para o tucano.O programa do PP, de Paulo Maluf, também exaltou a figura do ex-prefeito, citado seis vezes, e apresentou o projeto de construção de faixas de tráfego sobre os Rios Pinheiros e Tietê, a chamada freeway.Hoje será a vez da aparição oficial dos candidatos a prefeito. Marta deve exibir um depoimento de Lula, enquanto Alckmin e Kassab disputarão a imagem do governador José Serra (PSDB) como cabo eleitoral.Serra gravou um depoimento de apoio a seu correligionário, mas trabalhou para que o PSDB apoiasse Kassab. Mesmo após o lançamento oficial da candidatura de Alckmin, o governador não compareceu a nenhum evento de campanha do tucano. Já com Kassab trocou elogios públicos e participou de cerimônias oficiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.