Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Candidato tucano do AM diz que Lula deveria se preocupar com mensalão

Ex-presidente participa, nesta quarta, de comício de candidata do PCdoB em Manaus

Luciana Nunes Leal, enviada a Manaus

19 de setembro de 2012 | 19h47

Poucas horas antes do comício da candidata do PC do B à Prefeitura de Manaus, senadora Vanessa Grazziotin, com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Artur Virgílio Neto, que concorre pelo PSDB, disse que o petista deveria estar mais preocupado com o julgamento do mensalão do que com as eleições municipais. O ato público detsa noite está previsto para as 20h.

"Me espanto muito que, neste momento do julgamento histórico do governo dele, ele esteja preocupado com a campanha. Começa a se desenhar um desastre para o governo dele no Supremo Tribunal Federal", afirmou Artur Virgílio. Em referência à reportagem da revista Veja segundo a qual o operador do mensalão Marcos Valério tem feito declarações que envolvem Lula no esquema, Artur Virgílio ironizou: "Para usar um termos deles, o Marcos Valério está socializando a responsabilidade."

Em outra ironia, o tucano disse que será eleito prefeito e receberá Lula como convidado da prefeitura na capital amazonense. Questionado se entendia a participação do ex-presidente na campanha de Manaus como uma resposta aos embates que travou como líder do PSDB no Senado durante o governo Lula, Artur Virgílio disse esperar que não seja esta a motivação do petista. "Rancor não faz bem à saúde e eu orei muito pela saúde do ex-presidente Lula. Ele é sempre bem-vindo e, a partir de janeiro, toda vez que ele vier a Manaus será meu convidado oficial, convidado da prefeitura. Inclusive para assistir comigo aos jogos da Copa do Mundo, na tribuna de honra", brincou o tucano.

Artur Virgílio perdeu a reeleição de senador para Vanessa, em 2010, mas lembrou que venceu a adversária na capital. "O presidente é estimado em Manaus, mas o povo vai deixar o ex-presidente escolher quem vai resolver o problema da água na zona leste e na zona norte? O Lula fez de tudo para tirar meu mandato. Dizia que Vanessa é imprescindível no Senado. E agora ela tem que sair do Senado para a prefeitura? Qual é a garantia que o povo tem de que ela não sairia da prefeitura para cumprir outra missão? Eu cumpri todos os mandatos para os quais fui eleito", disse o tucano.

Fora de São Paulo, Lula participou de comícios em Belo Horizonte, Salvador e Feira de Santana (BA) para alavancar as candidaturas de petistas. Embora não seja do PT, mas de um partido da base governista, Vanessa tem feito uma campanha nos moldes dos petistas, de exaltação da proximidade com Lula e com a presidente Dilma Rousseff, o que, segundo a senadora, facilitará a obtenção de recursos federais para a cidade.

Na noite de terça-feira, 18, a caminho de um comício na periferia, Vanessa negou que Lula tenha alguma motivação pessoal para trabalhar pela derrota de Artur Virgílio. "Existe uma memória do que foi a oposição na época em que Lula foi presidente. A oposição tinha uma força muito maior do que agora com a presidenta Dilma e trouxe muitos problemas ao governo, tentou atrapalhar projetos, fazer com que as coisas não caminhassem. O Artur bateu muito pesado. Mas não é uma questão pessoal do presidente Lula, é um embate político. Fora isso, Lula e Dilma sempre tiveram um carinho muito grande pelo Amazonas e por Manaus, onde sempre tiveram as mais altas votações", disse a candidata do PC do B.

Vanessa conta com a presença de Lula para aumentar as intenções de voto na reta final da campanha. Pesquisa Ibope divulgada em meados de agosto apontou o candidato do PSDB na frente, com 29%, dez pontos à frente de Vanessa. Um novo Ibope é esperado para amanhã. A campanha pela prefeitura da capital amazonense esquentou há dez dias, quando a candidata do PC do B acusou aliados do adversário de a terem atacado na chegada para um debate. Vanessa, que inicialmente pensou ter sido atingida por um ovo, depois disse que alguém cuspiu em seu rosto. A campanha de Artur Virgílio contra-atacou dizendo que se tratava de uma "armação", o que Vanessa nega com veemência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.