Candidato quer Lula e Aécio em seu programa eleitoral em BH

Apesar de integrarem partidos rivais, Lula e Aécio apóiam, junto com Pimentel, candidatura de Lacerda

MARCELO PORTELA, REUTERS

17 de julho de 2008 | 19h42

A coordenação da campanha de Márcio Lacerda (PSB) à prefeitura de Belo Horizonte quer colocar o presidente  Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Aécio Neves (PSDB) juntos nos programas eleitorais gratuitos. Apesar de integrarem partidos rivais, Lula e Aécio apóiam e ajudaram, junto com o prefeito Fernando Pimentel (PT), a viabilizar a candidatura de Lacerda, que tem o deputado petista Roberto Carvalho como vice. Segundo a coordenação de campanha, Lula já teria mostrado disposição de participar ativamente do processo eleitoral.   Veja Também:  Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Veja as regras para as eleições municipais Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições   "Ele disse com todas as letras que fazia questão de participar pessoalmente da campanha em Belo Horizonte", afirmou Roberto Carvalho, em entrevista à Reuters, referindo-se às declarações do presidente em encontro recente com Aécio e Pimentel, em Itajubá, no Sul de Minas. "Agora, dependemos da agenda do presidente para fazer o convite formal para que ele grave em estúdio depoimento a favor da candidatura", acrescentou. O deputado ressalta que, pela legislação eleitoral, Lula não poderia participar de programas de nenhum outro candidato que não faça parte da coligação para as eleições e que seria até uma "deselegância" algum concorrente convidá-lo. Entre os candidatos que disputam com Lacerda e Carvalho a sucessão municipal em Belo Horizonte há integrantes de partidos da base de apoio ao governo, como a deputada federal Jô Moraes (PCdoB), que recebeu apoio de vários dirigentes petistas em Belo Horizonte na semana passada. Mas é justamente a legislação que impediria Lula de participar de programas de outros partidos que pode ser um empecilho para a inclusão de Aécio Neves no material que será veiculado pela chapa Lacerda-Carvalho. Depois da direção nacional do PT vetar uma coligação com o PSDB em Belo Horizonte, os tucanos decidiram apoiar informalmente a coligação. Dessa forma, Aécio não pode participar de programas de estúdio ou gravar depoimentos pedindo voto diretamente para os candidatos. "O jurídico já está analisando como ele poderia participar dos programas", diz Carvalho. Segundo a assessoria dos candidatos, haveria a possibilidade de usar imagens do governador em atos externos, como o lançamento oficial da campanha ou caminhada pelas ruas da periferia da capital mineira, ambos na semana passada. "Nesse caso, poderíamos usar imagens até de matérias de televisão nos programas", avalia Carvalho. "Se serão usadas imagens dos dois (Lula e Aécio) no mesmo programa, é a equipe de TV que vai definir", conclui.

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICOESMGPROGRAMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.