Candidato do PSDB pode ser escolhido em pré-convenção, diz Aníbal

O presidente nacional do PSDB, deputado José Aníbal (SP), disse hoje que a tendência do partido é que a escolha do candidato à sucessão presidencial seja feita em pré-convenção. "O procedimento é uma pré-convenção, mas não estou desconsiderando a possibilidade de um entendimento, sem necessidade de fazer essa pré-convenção", disse.A adoção desse foro para escolher o candidato tucano vem ganhando força tanto entre os partidários do ministro da Saúde, José Serra, quanto dos defensores da candidatura do governador do Ceará, Tasso Jereissati. Uma pré-convenção aconteceria depois das eleições dos diretórios estaduais do partido - que serão encerradas até 3 de fevereiro do próximo ano -, quando serão também eleitos os delegados à convenção nacional. Se a idéia da pré-convenção for aprovada pelo comando do PSDB, ela deverá ser realizada, portanto, no fim de fevereiro. Nesta quarta-feira, Aníbal vai encontrar-se com o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), para discutir a possibilidade de manutenção da atual aliança que sustenta o governo também para a sucessão presidencial.O PMDB deverá adiar as prévias para março, coincidindo com a data de escolha do candidato do PSDB. "Há muita possibilidade de conversas, e ninguém quer enrijecer posições", disse o presidente do PSDB, ressaltando também que, nos contatos que tem mantido com o presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), este tem manifestado a preocupação do partido em que a aliança ganhe as eleições de 2002.Aníbal disse também que, em na reunião de hoje à noite, a executiva nacional do PSDB não vai fixar os critérios nem a data de escolha do candidato à presidência, pois isto dependerá de conversas com os pré-candidatos, com o presidente Fernando Henrique Cardoso e com os membros da executiva.O líder do PSDB na Câmara, Jutahy Magalhães Júnior (BA), também defendeu hoje a realização de uma pré-convenção do PSDB.No abaixo-assinado que a bancada do PSDB na Câmara entregou hoje ao líder Jutahy, os deputados pedem que o critério para a escolha do candidato seja definido em reunião conjunta entre a bancada e a Executiva, até 15 de dezembro, quando termina a sessão legislativa. "Os deputados querem participar do processo e querem que a escolha ocorra em janeiro ou fevereiro", disse Jutahy Magalhães.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.