Candidato do PRB vira dono de bar 'sem gastar nada'

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, é sócio majoritário de um bar em Brasília sem ter gasto, segundo ele próprio, nenhum real.

ALANA RIZZO, Agência Estado

14 de setembro de 2012 | 09h13

A aquisição do estabelecimento às margens do Lago Paranoá foi responsável pelo aumento de 100% de seu patrimônio entre 2010 e 2012 - passou de R$ 1,1 milhão para R$ 2,2 milhões, segundo declarações entregues ao Tribunal Superior Eleitoral.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Russomanno explicou assim sua participação no Bar do Alemão, o negócio que duplicou seus bens: "Ainda não coloquei dinheiro. Vou é administrar. O meu capital será integralizado conforme o passar dos anos e à medida que o dinheiro for entrando". O bar será inaugurado após a eleição. Russomanno não disse como conciliaria a "administração do bar" e a da cidade, caso seja eleito.

Segundo os registros da Junta Comercial do Distrito Federal, o candidato é responsável por R$ 1,1 milhão do capital de R$ 4,2 milhões do bar e restaurante - maior cota do empreendimento.

A operação financeira para tirar o projeto do papel contou com recursos de outros investidores. A principal sócia do candidato do PRB, Luna Gomes, é filha do primeiro secretário da Câmara, Eduardo Gomes (PSDB-TO).

Com patrimônio declarado de R$ 481 mil, Gomes disse ter recorrido a "economias pessoais, venda de patrimônio e empréstimo bancário" para entrar com R$ 1 milhão no negócio. Para o deputado, trata-se de "uma oportunidade de investimento".

Russomanno diz que é amigo de longa data do tucano. Também figuram como sócios Angelo Daldegan de Oliveira, Hebert Steiner e outras duas empresas: a Yellowwood Consultoria e a Unialimentar Comércio e Serviços de Alimentos Ltda. "Divulga mesmo porque, quando inaugurar, quero o bar lotado. Preciso mostrar para meus sócios que era mesmo um bom investimento", comentou Russomanno. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPRussomannobar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.