Candidato do PMN-SP: saúde é política de Estado

O candidato a prefeito de São Paulo Renato Reichmann (PMN) disse, no debate desta noite realizado pela Rede Bandeirantes, que a saúde é política de Estado, e não de governo, para não ter de "recomeçar tudo" quando termina uma gestão e entra outra. Reichmann defendeu o funcionamento das Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs) 24 horas por dias para "aliviar" os hospitais. Para ele, os hospitais devem ficar com o atendimento mais pesado, e as AMAS devem atender de madrugada. "Na periferia, tem de chamar vizinho para levar, quando tem AMA e Unidade Básica de Saúde (UBS) próxima", disse. O candidato do PMN propôs a adoção de veículos para ir de escola em escola fazendo exames médicos e citou o filme Tropa de Elite: "Aquele menino não enxerga porque vai mal na escola. Medicina 24 horas por dia alivia o sistema", defendeu.Alckmin diz que vai recuperar o atendimento primário, caso seja eleito. "Vamos equiparar com tecnologia mais moderna. Passamos para o PT uma jóia que era a Qualis, menina dos olhos do Covas (ex-governador tucano Mário Covas), que era esse programa. Hospitais de referência, retrato de desigualdade da cidade. Tem regiões que não tem leitos hospitalares", afirmou. Reichmann concorda que é preciso equipamento de boa qualidade, mas ressalta que é preciso ter médicos, terapeutas. "Contratar gente imediatamente", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.