Candidato a vice-governador na chapa de Cassol é preso na "Operação Dominó"

Entre os presos da "Operação Dominó", que está sendo realizada pela Polícia Federal em Rondônia, está o chefe de gabinete do governador Ivo Cassol (PPS) e candidato a vice-governador na chapa dele pela reeleição, Carlos Magno Ramos.O procurador-geral de Justiça de Rondônia, Abdiel Ramos Figueira, informou na manhã desta sexta-feira que não foi preso na operação. Embora o tivesse incluído na relação dos presos durante esta manhã, a Polícia Federal informou que pediu sua prisão, mas não obteve a expedição de mandado da Justiça Federal contra ele.Na operação, estão sendo presos desembargadores, juízes, deputados estaduais e demais pessoas acusadas de envolvimento com uma quadrilha de altos funcionários públicos especializada em desvio de recursos públicos, corrupção, peculato, extorsão, lavagem de dinheiro e venda de sentenças judiciais.Entre os alvos da operação estão, entre outros, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Sebastião Teixeira Chaves, e sua mulher, a advogada Marilda Shirley de Souza Leira Teixeira Chaves; o presidente da Assembléia Legislativa de Rondônia, deputado José Carlos de Oliveira (PL), o "Carlão", acusado de ser o líder da quadrilha, além de promotores e, pelo menos, mais nove deputados estaduais. O grupo é acusado de lesar os cofres públicos em cerca de R$ 70 milhões, desde 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.