Candidata do PMDB à presidência da Câmara defende independência da Casa

Rose de Freitas acusou o Poder Executivo de não respeitar o povo brasileiro

Ricardo Brito, Agência Estado

04 de fevereiro de 2013 | 12h18

BRASÍLIA - Primeira candidata à Presidência da Câmara a discursar em plenário nesta segunda-feira, 4, a deputada Rose de Freitas (PMDB-ES) defendeu uma maior independência do Parlamento em relação ao Executivo. Rose de Freitas acusou o Executivo de "não respeitar o povo brasileiro", por meio dos seus representantes na Câmara. Também cobrou a aprovação de um orçamento impositivo e ressaltou que não quer uma Câmara que "dependa de pires, de favores".

"O Poder Executivo não respeita o povo brasileiro. Nunca vi querer um parlamento forte, somos da base do governo, trabalhamos, queremos que se fortaleça e não é com atitude que podemos mudar esta Casa", criticou a deputada capixaba, que anteriormente havia elogiado a presidente Dilma Rousseff.

Em um discurso voltado para o público interno, Rose de Freitas cobrou a aprovação do orçamento impositivo, ressaltando que essa ideia não é "metáfora de campanha". Ela disse ter apresentado a proposta 18 vezes na Câmara, tendo sido todas elas derrubadas.

Tudo o que sabemos sobre:
CâmaraeleiçãoRose de Freitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.