Câncer de Lula tem tem boas chances de cura

O médico José Guilherme Vartanian, do Hospital AC Camargo, especialista em pescoço e cabeça, disse que o tipo de câncer diagnosticado no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem 80% de chances de cura se descoberto no seu estágio inicial e 60% no estágio intermediário. Ele não soube dizer em que estágio se encontra a doença de Lula, porque não faz parte da equipe médica responsável pelos exames e tratamento do ex-presidente. Lula recebeu diagnóstico de tumor na laringe e permanece no hospital Sírio Libanês.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agência Estado

29 de outubro de 2011 | 14h35

Tal tipo de câncer atinge principalmente homens acima de 40 anos e é provocado geralmente por exposição a bebidas alcoólicas e tabaco, bem como por fatores externos ambientais, como poluição, disse o especialista. O tratamento leva, em média, de seis a oito semanas e pode ser feito com cirurgia e ou quimioterapia. As aplicações são diárias, cinco vezes por semana, com folga no fim de semana para o paciente.

Normalmente, quem é acometido por este tipo de câncer começa a sentir dores na garganta, dificuldade para engolir e para falar. Uma das consequências do tratamento pode ser rouquidão.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulacâncercura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.