Campos usa universidade particular em inserção do PSB sobre educação pública

Governador negou que tenha feito propaganda enganosa; escolha por filmar em instituição privada teria sido por causa de burocracia para gravar em prédios públicos

ANGELA LACERDA e Marcelo Portela, Agência Estado

03 de outubro de 2013 | 14h49

O PSB, do governador Eduardo Campos, usou imagens de uma faculdade particular para exaltar o ensino público de Pernambuco nas inserções que estão sendo exibidas pelo partido na TV.

Numa peça chamada "respeito", a locutora afirma que "o PSB está mostrando que a escola pública pode mais" enquanto são exibidas imagens de uma estudante caminhando pela Universidade Maurício de Nassau, privada.

Logo depois, Campos, que pretende disputar a Presidência da República no ano que vem, afirma que "só há respeito quando existem serviços públicos de qualidade". Na tarde desta quinta-feira, 3, o governador explicou a escolha de utilizar uma instituição particular na propaganda, alegando que, para fazer as filmagens em prédios públicos, seria necessário "fazer um requerimento e tramitar o requerimento" e não haveria "tempo hábil" para providenciar a documentação.

 "Poderia ser num estúdio", declarou. "Tanto que pusemos um avião que não é um avião, é uma cena. E pusemos uma escola como representação, para evitar problema jurídico de dizer que estávamos fazendo propaganda eleitoral em prédio público. Qual o problema que tem nisso?", acrescentou Campos, que negou fazer propaganda enganosa e afirmou que "o importante é o conteúdo do programa, o compromisso com a Educação pública".

Reação. A inserção foi alvo de críticas de oposicionistas na Assembleira Legislativa de Pernambuco. "O PSB expôs Pernambuco a um vexame nacional", reagiu a deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB).

"Pernambuco tem um dos níveis mais baixos de educação no País, está em 16. lugar, atrás de Estados como Amazonas, Tocantins, Roraima e Rondônia", afirmou, ao citar dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Para ela, foi um "erro" a apresentação do programa de intercâmbio para o exterior como se fosse de excelência educacional. "É dinheiro que o Estado está mandando para o exterior e para fazer propaganda", acusou.

O seu partido reconhece a existência de escolas de qualidade no Estado, mas como exceção. "Do jeito que está, (a educação no Estado) não pode ser considerada jamais uma referência para o resto do País", disse nesta quinta, em discurso na Assembleia Legislativa o deputado Daniel Coelho (PMDB-PE).

A assessoria da Universidade Maurício de Nassau - Uninassau - disse não ter informação sobre o assunto e que a direção do estabelecimento está viajando.

Confira o vídeo abaixo:

 

Mais conteúdo sobre:
Eduardo CamposPSBinserções

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.