Campos pede agilidade nas ações da seca

Governador cobra em carta enviada à Dilma Rousseff reforço na construção da Adutora do Oeste

Angela Lacerda - Agência Estado,

25 de outubro de 2012 | 21h09

RECIFE - Preocupado com o recrudescimento da seca, que segundo as previsões, deverá se estender a 2013, o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, envia nesta sexta-feira (26) uma carta à presidente Dilma Rousseff pedindo agilidade nas ações emergenciais da Operação Seca. Campos relata dificuldades apresentadas nas ações desenvolvidas em parceria com a União e apresenta sugestões para os programas de complementação de renda.

"As minhas cobranças são feitas como uma pessoa que se coloca no lugar de quem está enfrentando a mais dura estiagem dos últimos 50 anos", explicou o governador, que, na carta, propõe a ampliação do programa Bolsa-Estiagem - uma ajuda de custo realizada em cinco parcelas mensais de R$ 80,00 - para o público do Garantia Safra, que está concluindo as cinco parcelas de R$ 680,00 neste mês de outubro.

"Assim, estaremos corrigindo falhas no cadastramento federal, que exclui alguns trabalhadores rurais de um ou outro programa", justificou Eduardo Campos. Ele considera possível juntar os grupos e exemplifica com a iniciativa estadual que começa a pagar o "Chapéu de Palha Estiagem", bolsa de R$ 280,00, no próximo dia 30, a todos os agricultores cadastrados nos dois programas (Garantia Safra e Bolsa Estiagem).

No texto, o governador cobra reforço na construção da Adutora do Oeste, que será responsável pelo abastecimento de água de grande parte do Sertão pernambucano e expõe sua preocupação com o transporte de milho do Mato Grosso e o Programa de Aquisição de Alimentos para Ovinos e Caprinos.

A decisão de enviar uma carta à presidente foi tomada nesta quinta-feira (25), durante reunião na sala de monitoramento da sede do Governo, com vários secretários estaduais do Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem. Dos 184 municípios pernambucanos, 120 estão em estado de emergência, devido à estiagem.

Sob a coordenação da Secretaria de Agricultura, 13 secretarias estão envolvidas nas ações da Operação Seca, além de quatro ministérios e mais o Exército brasileiro. Os investimentos estaduais somam mais de R$ 200 milhões e contemplam ações de abastecimento de comunidades rurais, com a contratação de 773 de carros-pipa; assistência aos rebanhos; infraestrutura hídrica, com investimentos em toda a rede de distribuição de água, na Compesa, além da construção de cisternas e açudes. No eixo econômico, o pacote de medidas emergenciais incluem os programas Chapéu de Palha Estiagem, com 82.810 famílias beneficiadas, além do Seguro-Safra e o Bolsa Estiagem.

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo CampossecaDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.