WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Campos diz que reforma tributária será prioridade

O candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, voltou a dizer nesta quarta-feira, 16, ao deixar palestra a empresários na sede do Itaú BBA, na capital paulista, que, caso eleito, enviará ao Congresso Nacional nos primeiros seis meses de mandato um projeto de reforma tributária. "Justiça tributária é um ponto central (do projeto), transparência, que responda a um novo pacto federativo, que elimine a cumulatividade, que possa desonerar investimento e possa ter efeito sobre formalização do emprego". Os fundamentos deste projeto, segundo Campos, estarão no programa de governo de sua chapa, que deve ser divulgado até o fim deste mês.

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

16 de julho de 2014 | 13h21

O candidato se mostrou contrário à ampliação da política de desonerações de alguns setores promovida pelos governos do PT. Campos falou que é hora de adotar medidas mais "transversais" em vez de optar por ações pontuais. "Nós vamos convergir para a reforma tributária todos os ajustes que temos que fazer. Para não ficarmos com um conjunto de medidas pontuais que custam caro e impactam pouco".

Questionado sobre como incentivar o investimento no Brasil, o candidato pernambucano afirmou que aposta na construção de um ambiente seguro para a retomada da confiança do empresariado. "Você não incentiva empresários, nem do Brasil nem de fora, a investir, com palavras. Tem que ter atitudes coerentes com a palavra, tem que criar um ambiente seguro para empreender", afirmou.

Campos citou ainda a necessidade de convencer os investidores de que há uma governança no País comprometida com a inflação no centro da meta e os fundamentos do tripé macroeconômico. "Tudo isso são sinais consistentes para que a confiança seja retomada. A confiança foi quebrada e será retomada pela força das urnas e com atitudes coerentes com o que nós estamos pregando na eleição".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.