Campos diz que País vive 'crise de expectativa' na economia

Governador de Pernambuco posta mensagem no Facebook em resposta ao pronunciamento da presidente Dilma feito domingo passado

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

02 Janeiro 2014 | 17h23

SÃO PAULO - O governador de Pernambuco e provável candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB), disse nesta quinta-feira, 2, que o Brasil vive uma "crise de expectativa" na área econômica. Em artigo postado na sua página no Facebook, Campos afirmou que há problemas que precisam ser enfrentados e que a inflação volta a bater na porta dos brasileiros.

O texto foi publicado quatro dias depois de a presidente Dilma Rousseff afirmar, em pronunciamento no rádio e na TV, que "alguns setores" estão fazendo uma "guerra psicológica" e criando uma "desconfiança injustificada" que pode inibir investimentos.

"Nós temos, hoje, problemas macroeconômicos que precisam ser enfrentados. Há três anos seguidos o Brasil cresce uma média que é a metade do que vinha crescendo. Nestes três anos, a América Latina tem crescido 40%, 50% de média a mais que o Brasil. O mundo está crescendo mais que o Brasil. Assim, temos a inflação de volta batendo na porta dos brasileiros", escreveu Campos.

Reforçando a crítica de que o governo tem manipulado os resultados das contas públicas, o governador afirmou que, diante do baixo crescimento do Produto Interno Brasileiro (PIB), "não se tem espaço de manobra para tentar fazer mágica". Segundo ele, é preciso iniciar um "debate que faça o Brasil reencontrar o caminho do crescimento" .

Em mais uma resposta à fala de Dilma, que afirmou que o Brasil vai continuar melhorando, Campos disse que era preciso ter "humildade" para reconhecer as "deficiências" na área econômica: "Não adianta nada, nessa hora, esconder as deficiências. O pior erro na vida de uma pessoa, de uma comunidade, de uma organização e, sobretudo, de um país, é não ter humildade para reconhecer as coisas que precisam ser consertadas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.