Campos diz que não haverá problema em decidir chapa

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), negou nesta quarta-feira, 09, que já exista uma definição sobre quem será o candidato à Presidência na chapa recém-formada por ele e pela ex-senadora Marina Silva. "Não vamos ter nenhum problema em decidir chapa em 2014", afirmou o governador em entrevista ao Jornal da CBN, ao ser questionado se a possibilidade de Marina continuar à frente nas pesquisas poderia inviabilizar sua candidatura.

CARLA ARAÚJO, Agência Estado

09 de outubro de 2013 | 16h29

"Está redondamente enganado quem achar que existe contradição (na aliança), pelo contrário, existe unidade entre o PSB e a Rede e entre eu e a Marina", afirmou. Ao reforçar que ainda não há definição sobre a sua candidatura, Campos disse ainda que "o que não tem mais volta é que PSB e Rede vão estar juntos e sintonizados".

O governador criticou a postura de alguns adversários políticos que, segundo ele, procuram de forma meio "desesperada" atrapalhar a construção da aliança. "É uma aliança porque não somos a mesma coisa, mas se existe aliança é porque temos identidade", disse, ressaltando que a nova chapa deve sim mudar o curso de alianças estaduais para 2014. "Não há contradição", reforçou.

Ainda na entrevista à CBN, o governador afirmou que é preciso "vencer o bipartidarismo". "Não podemos resumir os problemas do País que queremos construir na próxima década no ''nós e eles''", afirmou.

Campos disse ainda que está fazendo reuniões com integrantes do PSB e da Rede para formularem uma agenda nacional, que será transformada em um documento à sociedade brasileira.

Lula

Segundo o governador, antes de o acordo entre ele e Marina se tornar público ele tentou entrar em contato com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para informá-lo da situação. "Eu procurei avisá-lo antes de vazar as conversas, que começaram na sexta à noite", disse. Campos afirmou, no entanto, que não conseguiu sucesso no contato com o ex-presidente. "Depois como a notícia vazou e ficou pública não tinha sentido o meu telefonema."

Campos diz acreditar ser difícil que o ex-presidente concorra às eleições em 2014. "Tudo que eu tenho ouvido de declarações do PT e do Lula é que a candidatura do PT está decidida e é a reeleição da presidente Dilma (Rousseff)", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
EDUARDO CAMPOSMARINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.