Campos defende 'punição exemplar' em escândalo no DF

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), defendeu hoje "o máximo de rigor" nas investigações sobre o suposto esquema de corrupção no governo do Distrito Federal e na Câmara Distrital, e "punição exemplar" aos culpados. O deputado distrital Rogério Ulisses, do PSB, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, é um dos acusados. Imagens em poder da Polícia Federal (PF), que conduz a Operação Caixa de Pandora, mostram indícios de um esquema de pagamento a políticos, empresários e aliados do governador José Roberto Arruda (DEM), proveniente de propina vinda de empreiteiras e prestadoras de serviço.

RENATO ANDRADE, Agencia Estado

01 de dezembro de 2009 | 14h27

"Fomos rápidos, tomamos todas as decisões. A comissão de ética já foi instalada para tomar as medidas em relação ao parlamentar. Foi convocada na sexta-feira e na segunda já teve reunião da comissão de ética da executiva local", disse Campos, em Brasília. "Tudo isso tem que ser esclarecido e apurado com o máximo rigor e as pessoas que tem envolvimento com isso tem que ter punição exemplar. Agora, não quero prejulgar ninguém, eu vi fita de 2006, 2007, não sei exatamente o quê é aquilo" afirmou ele, referindo-se às imagens de parlamentares distritais recebendo dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDFPSBEduardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.