Campos defende acordo de lideranças para votar MPs

O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, defendeu nesta quarta-feira um acordo de lideranças como solução para a votação das Medidas Provisórias 601 e 605 sem descumprir o pacto feito pelo Senado de só votar MPs com um prazo de sete dias para debate.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

29 de maio de 2013 | 13h33

"Agora o único caminho é o do convencimento", afirmou Campos, ao garantir que se depender do PSB as MPs serão votadas no Senado, da mesma forma como já foram votadas pela bancada socialista na Câmara Federal. Segundo ele, o partido reconhece a importância da matéria. "Só não sei se nossa posição será suficiente, tem outros que não estão admitindo", observou.

Campos disse que, como não houve acordo de lideranças, ficou valendo o acordo anterior, de não haver votação sem o prazo de sete dias para debate de MPs no Senado. Ele lembrou que o pacto foi feito "à luz do dia, na presença de todos, aplaudido pela sociedade que entende a importância de se ter um tempo para debate", em função das circunstâncias em que a MP dos Portos foi votada no Senado - no último dia de sua validade, sem tempo para qualquer tipo de discussão.

Só o acordo de lideranças, segundo o governador, teria força para superar esse pacto, embora a MP 605, que permitirá redução da conta de luz, poderá ser votada porque chegou na ordem do dia e cumpriria o prazo. Já a MP 601, que desonera folha de pagamento de setores da economia, ficaria de fora porque chegou depois da leitura da ordem do dia.

Possível candidato à Presidência da República, Eduardo Campos destacou que, a partir de agora, o governo federal precisa "coordenar a questão dos prazos para que a matéria chegue nas duas Casas a tempo de haver o debate e de se cumprir o que foi tacitamente acordado no colégio de líderes".

Ele deu entrevista depois de inaugurar o Terminal Integrado TIP, no bairro do Curado, em Recife, que irá facilitar o acesso ao estádio Itaipava Arena Pernambuco nos jogos da Copa das Confederações, em junho, e da Copa do Mundo, no próximo ano.

Tudo o que sabemos sobre:
CÂMARAMPsEDUARDO CAMPOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.