Campinas terá eleições indiretas para prefeito em março

O ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos e seu vice, Demétrio Vilagra, foram cassados no 2º semestre do ano passado; cargo é exercido atualmente pelo ex-presidente do Legislativo, Pedro Serafim

Tatiana Fávaro, de O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2012 | 17h57

CAMPINAS - A Câmara de Campinas marcou para 22 de março a eleição indireta de seu novo prefeito. Atualmente, o Executivo está sob o comando do ex-presidente do Legislativo, Pedro Serafim (PDT). O ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) e seu vice, Demétrio Vilagra (PT), foram cassados pela casa de leis no segundo semestre do ano passado.

 

Os partidos têm até 7 de fevereiro para inscreverem seus candidatos. Os 33 vereadores escolherão o prefeito para o "mandato-tampão".

 

Se houver duas chapas, vence a que obtiver maioria simples dos votos. Caso a eleição indireta tenha três ou mais chapas, o vencedor dependerá de maioria absoluta (17 votos). Se isso não ocorrer, os dois mais votados vão para um segundo turno, no qual será eleito o candidato que obtiver maioria simples dos votos.

 

Em caso de empate, vencerá o candidato de maior idade. As regras foram definidas por uma comissão de procuradores, com base no regimento interno e na lei eleitoral.

 

Um dos nomes naturais à sucessão é o de Serafim. O PSDB, partido ao qual pertencem os dois vereadores autores de pedidos de impeachment de Dr. Hélio e de Vilagra, não deve lançar candidato e já sinalizou apoio ao pedetista. O foco dos tucanos está na eleição de outubro, informaram lideranças do partido na cidade. O partido deverá indicar o vice na chapa do deputado federal Jonas Donizette (PSB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.