Campinas e Santos terão "Dia D" de combate à dengue

Agentes de saúde, escoteiros, soldados do Exército e funcionários de diferentes secretarias municipais participam amanhã de atividades em Campinas, na data definida pelo governo do Estado como Dia D de combate à dengue. As atividades incluem arrastões e ações educativas, com participação dos moradores. Na Vila Perseu de Barros, na região Noroeste de Campinas, os moradores e agentes de saúde irão organizar um "panelaço" para chamar a atenção da comunidade no combate à doença. Os arrastões serão feitos em diversos pontos da cidade, em diferentes regiões, com o apoio dos escoteiros e dos soldados do Exército. No Campo Belo 2, na região Sul, a área mais afetada de Campinas, serão distribuídas 150 caixas d?água com tampa para substituir os tambores utilizados pela população para armazenar o líquido, uma vez que o bairro não dispõe de água encanada. Os tambores são os principais focos da doença no local. Um grupo de palhaços promoverá atividades educativas para orientar os moradores sobre a importância de acabar com os criadouros.Há também iniciativa específicas, como os agentes de saúde que desenvolveram um trabalho educativo com alunos da Escola Estadual Antônio Pires Barbosa, no bairro Capivari, com atividades como paródias musicais, desenhos e tarefas de casa, sempre com a dengue como tema. Em uma das brincadeira, os alunos promovem "caça" aos criadouros. Segundo a Secretaria de Saúde, o Departamento de Limpeza e Urbanismo (DLU) da Prefeitura irá mobilizar 41 equipes para atuar com os agentes de saúde. Pelo menos 400 homens irão trabalhar com 100 roçadeiras, dois tratores agrícolas e quatro retro-escavadeiras. A Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A (Sanasa) de Campinas irá colaborar no Dia D de combate à dengue oferecendo apoio logístico para as atividades. A Defesa Civil de Campinas disponibilizou 12 funcionários para ajudar nas visitas às casas e retirada de criadouros do mosquito Aedes aegypti.De acordo com o mais recente relatório, divulgado ontem, Campinas tem confirmados 647 casos de dengue este ano, sendo 492 autóctones, 121 importados e 34 em investigação. Sumaré, na região de Campinas, tem 110 casos confirmados. No final de semana passado, foram coletadas 21 toneladas de entulhos de possíveis criadouros nas regiões Sudoeste e Sul de Campinas. A Secretaria de Saúde informou que as atividades de combate à dengue em Campinas são contínuas e deverão se estender pelas próximas semanas.SantosEm Santos, dois bairros foram escolhidos pela Secretaria Municipal da Saúde para concentrar as ações do Dia "D", com o objetivo de conscientizar a população para a necessidade eliminar os criadouros do Aedes aegypti. O bairro Aparecida, na zona leste, e o Jardim Castelo, na zona noroeste, que apresentam maior incidência de casos, receberão a visita dos agentes de saúde e dos soldados do Exército que, além de distribuir folhetos educativos, vão tirar todas as dúvidas dos moradores.De acordo com o último boletim da Direção Regional de Saúde (DIR/19), Santos é a cidade da Baixada Santista com maior número de casos confirmados de dengue, com 2.478 pessoas infectadas. Em segundo lugar vem São Vicente, com 1209; Praia Grande, com 439; Guarujá, com 361 e Cubatão, com 296, totalizando 4783 doentes.Um grupo de 100 escoteiros estará realizando panfletagem nos shoppings e nas praias santistas. A partir de segunda-feira, os 385 orientadores do transporte coletivo, os amarelinhos que vendem passagens nos pontos dos ônibus, para a Viação Piracicabana, vão orientar os usuários sobre os cuidados com os ralos, calhas e caixas d?água, considerados os três pontos mais vulneráveis da cidade. Santos já confirmou o primeiro caso de dengue hemorrágica, em um rapaz residente no Aparecida, bairro que, coincidentemente, teve a confirmação, esta semana, de uma mulher infectada com o vírus do tipo 3. Por sorte, a paciente que esteve mês passado no Rio de Janeiro, desenvolveu a dengue clássica e já está curada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.