Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Campinas adota exame obrigatório para tumor infantil

Uma lei municipal, aprovada, em Campinas, determina a obrigatoriedade do exame de fundo de olho em crianças de até 4 anos na rede pública de saúde, a partir de janeiro do próximo ano. A avaliação será feita para detectar precocemente o retinoblastoma, câncer que começa na retina e pode provocar perda do olho e morte, em 10% dos casos. Segundo o diretor do Departamento de Saúde da Secretaria Municipal de Campinas, Roberto Mardem Soares Farias, embora o exame seja antigo, não é utilizado rotineiramente. Ele explicou que o retinoblastoma se manifesta nos dois primeiros anos de vida e atinge uma em cada 10 mil crianças. Na grande maioria das vítimas, a doença é diagnosticada pelos pais, em estágio avançado, quando provoca estrabismo e surgem manchas brancas no olho da criança, disse Farias. Nesses casos, o olho afetado precisa ser removido. O índice de sobrevivência de vítimas do retinoblastoma é de 90%, mas a maior parte dos doentes perde o olho por causa do diagnóstico tardio.O diretor comentou que as chances de cura quando a doença é diagnosticada precocemente são muito maiores. Ele explicou que os exames na rede pública serão feitos nas crianças com dois meses de idade, com previsão de diagnosticar 75% dos casos, e 15 meses. As fases coincidem com as da vacinação. O exame poderá ser repetido aos 4 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.